NEGÓCIOS

Setor de TI cresce e contrata mais em 2018

Luís Osvaldo Grossmann ... 09/09/2019 ... Convergência Digital

A nova edição do Censo das empresas de TIC no Brasil, realizado pela Assespro nacional e pela Federação Ibero-Americana das Entidades de Tecnologia da Informação (Aleti), mostra o mercado nacional de tecnologia fugindo da crise econômica, avançando em faturamento e aumentando as contratações. 

De acordo com a 6ª edição do Censo, enquanto em 2015 apenas 25% das empresas pretendiam ampliar o quadro de colaboradores em 10% ou mais, no ano passado esse percentual passou para 40% das empresas. Os investimentos de até R$ 30 mil passaram de 12% para 20% do total. Já a faixa de R$ 30 milhões a R$ 300 milhões cresceu de 34% para 41%.

Além disso, das 469 empresas que participaram da pesquisa, quase 70% fatura até R$ 5,4 milhões ao ano, tendo crescido o número de companhias que faturam entre R$ 1,8 milhão e R$ 5,4 milhões. Em 2018, elas representavam 32% do total, contra 25% em 2017.

“A primeira questão que fica evidenciada na pesquisa é que se confirmou a retomada que o setor tinha apresentado em 2017. Esse é o fator mais importante, que se apresenta tanto na receita como na contratação de mão de obra”, avalia o coordenador da pesquisa e diretor da Assespro Nacional, Roberto Mayer. “Como a necessidade de investimento é menor, o setor de TICs se adapta e reagem mais rapidamente”, completa. 

O Censo também indicou que os aportes em pesquisa, desenvolvimento e inovação também mostraram essa reação. Segundo o levantamento, passou de 33% para 41% a fatia das empresas do setor que investem mais de 4% em P&D. No entanto, cerca de um quarto do mercado, 24% das empresas, não investiu nada em pesquisa em 2018. 

Uma outra constatação da pesquisa é uma redução nas exportações. Segundo a Assespro, indicação de que houve uma procura mais intensa de alternativas no mercado externo durante o pior período de crise no Brasil. Mas com alguma recuperação da TI, o setor voltou a se concentrar mais no mercado interno. 

“Nesse período de crise, tivemos uma preocupação maior das empresas em trabalhar com exportações. Mas os resultados de 2018 mostram que o número de empresas exportadoras diminuiu, voltou aos níveis de 2013, 2014. Parece que o esforço para conquistar mercado externo foi mais um paliativo da crise, não um objetivo de longo prazo. E do ponto de vista estratégico isso é uma coisa complicada”, adverte Mayer. 


Cloud Computing
BIC faz transformação digital com Salesforce

Multinacional reescreve relacionamento com cliente e obteve um aumento de 90% na velocidade de entrada de pedidos, tempo entre o vendedor registrar o pedido no sistema e ele ser faturado, resultando em uma queda de 24h úteis para apenas 2 horas.

Depois de vários nãos, Covid-19 faz Xerox desistir de oferta hostil pela HP

Aquisição, agora, é considerada muito arriscada. Proposta feita era de US$ 35 bilhões.

Big data e IA para saúde fazem Semantix comprar a Tradimus

Empresa brasileira adquiriu solução voltada para gestão dos recebimentos de pagamentos das seguradoras e operadoras de planos de saúde pelos serviços prestados. Valor da transação não foi revelado pelas partes.

Fenainfo faz manifesto pela retomada das atividades econômicas

Entidade, que reúne mais de 120 mil empresas de TI, afirma que 'diante da paralisação de muitos dos seus clientes, as empresas de TI também correm o risco de parar'.

Coronavírus: Generali amplia uso de PC alugado da Simpress por home office

Seguradora decidiu dobrar a quantidade de equipamentos contratados por outsourcing para manter o funcionamento dos negócios. CEO da Simpress, Vittorio Danesi, diz que, em sete dias, foram alocados mais de três mil notebooks em distintos clientes.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G