GOVERNO

Privatização do Serpro fere o princípio da Lei de Dados Pessoais

Ana Paula Lobo e Pedro Costa, do Rio de Janeiro ... 16/09/2019 ... Convergência Digital

Ao participar nesta segunda-feira, 16/09, de painel de debates sobre o Governo 4.0, no Rio Info 2019, que acontece esta semana no Rio de Janeiro, o consultor das Nações Unidas para assuntos de Internet e Dados Pessoais, o advogado Gilberto Martins alertou que privatização do Serpro e do Dataprev - como planeja o Ministério da Economia- é bastante polêmica e que, numa primeira análise, a venda para terceiros fere os princípios de funcionalidade da Lei de Proteção de Dados Pessoais, que entra em vigência em 15 de agosto de 2020.

"Esse é um tema que vai ter de ser discutido. Há uma fronteira muito tênue e muito delicado na privatização do Serpro e do Dataprev. Temos que entender que há dados pessoais sendo transferidos/repassados para terceiros", afirma Gilberto Martins, em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital. "Um dado biométrico entregue ao Denatran não deveria, por instinto, ser usado para validar transação no comércio", exemplifica.

Gilberto Martins afirma que a privatização deveria ser discutida pela Autoridade Nacional - já criada, mas ainda não formalizada. "Estamos muito atrasados", lamenta. Sobre a preparação das empresas, o advogado também adverte: uma implementação correta leva de seis a sete meses. "Isso significa que o prazo apertou". Para o especialista, a área de TI precisa tomar a dianteira dos projetos da LGPD. Assistam a entrevista.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Telebras faz Assembleia Geral para aprovar capitalização de R$ 1,512 bilhão

Assembleia geral para tratar do aumento de capital foi agendada para 31 de outubro. Proposta da estatal - que integra lista de privatizações do governo Bolsonoro - dá prioridade à União, como principal acionista da empresa.

Congresso restaura poder de punição à Autoridade de Dados

O Congresso Nacional derrubou vetos feitos pelo presidente Jair Bolsonaro à MP 869/18, que se transformou na Lei 13.853/18. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados ganhou independência para aplicar multas às empresas e aos órgãos públicos. Mas foi mantido o veto para as exigências feitas aos encarregados das empresas pelo tratamento de dados.

Carteira de Trabalho digital adota CPF para identificar trabalhador

Versão digital da CTPS será previamente emitida a todos os inscritos no Cadastro de Pessoa Física, mas será preciso habilitar o novo documento via aplicativo ou pelo portal de serviços do governo federal. Documento também será usado no novo eSocial que está em elaboração.

ABES: Majorar serviços em 25% inviabiliza a economia digital

A afirmação é do presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher. Sobre a Lei de Informática, o executivo sustenta que o processo do governo é muito demorado e trava a inovação.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G