NEGÓCIOS

Inteligência Artificial é o novo capítulo da guerra EUA x China

Convergência Digital* ... 08/10/2019 ... Convergência Digital

O governo dos Estados Unidos ampliou a lista de sanções comerciais para incluir algumas das maiores startups de inteligência artificial da China, como forma de punição ao governo chinês por seu tratamento a minorias muçulmanas. Medida eleva as tensões antes de conversas comerciais de alto nível, agendadas para acontecer esta semana em Washington. O embate EUA e China já dura 15 meses e, ao que parece, não há data para acabar.

A decisão norte-americana, que provocou uma repreensão dura de Pequim, visa 20 agências de segurança pública chinesas e oito empresas, incluindo a companhia de vigilância com vídeo Hikvision e as líderes da tecnologia de reconhecimento facial SenseTime Group e Megvii Technology. A ação impede as empresas de comprarem componentes de companhias norte-americanas —algo potencialmente debilitante para algumas delas— e segue o mesmo esquema usado pelos EUA em sua tentativa de limitar a influência da Huawei Technologies devido ao que diz serem motivos de segurança nacional.

"As entidades foram implicadas em violações de direitos humanos e abusos na implantação da campanha de repressão, nas detenções em massa arbitrárias e na vigilância de alta tecnologia da China contra uigures, cazaques e outros membros de grupos muçulmanos minoritários”, reportou documento publicado pelo Departamento de Comércio. “O governo dos EUA e o Departamento de Comércio não podem e não irão tolerar a supressão brutal das minorias étnicas dentro da China”, acrescentou o secretário de Comércio, Wilbur Ross.

A reação da China foi imediata. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Geng Shuang, afirmou que os EUA deveriam parar de interferir nos assuntos da China. Reportou ainda que o País continuará a adotar medidas firmes e resolutas para proteger sua segurança soberana. Entre as empresas atingidas pela política de restrição está a Hikvision, com valor de mercado projetado em US$ 42 bilhões e que se classifica como a maior fabricante mundial de equipamento de vigilância com vídeo.

A SenseTime, avaliada em cerca de 4,5 bilhões de dólares, é um dos unicórnios de inteligência artificial mais valiosos do planeta, e a Megvii, que tem apoio da gigante de comércio virtual Alibaba, está avaliada em cerca de 4 bilhões de dólares e se prepara para lançar ações na bolsa para arrecadar ao menos 500 milhões de dólares em Hong Kong.

*Fonte: Agências de Notícias


Cloud Computing
Gestores de riscos se sentem incapazes de lidar com o vazamento de dados

Pesquisa global mostra que os  principais obstáculos à implementação de advanced analytics:os silos de dados, falta de clareza quanto à regulamentação e desafios de integração com sistemas legados.

TJ/SP autoriza Banco do Brasil a fechar contas-corrente da Mercado Bitcoin

Tribunal entendeu que não houve abuso de direito, nem indícios de violação à legislação concorrencial ou mesmo de ofensa à boa-fé por parte da instituição financeira com a corretora de criptomoedas.

SAP Brasil: quem tem de cuidar dos dados são as empresas

"É um novo momento para a sociedade e as corporações precisam se preparar", diz a presidente da SAP Brasil, Cristina Palmaka.

Embratel: sete entre 10 clientes questionam se a LGPD vai 'pegar'

“A nova legislação de proteção de dados vai 'pegar' porque as pessoas exigem. Quem começar agora já está atrasado e tem muita empresa ainda em avaliação",  adverte a diretora executiva para governo da Embratel, Maria Teresa Lima. 

Meios de pagamento: CADE amplia investigação para Itaú e Rede

Autarquia adotou medida preventiva para evitar prejuízos à concorrência decorrentes de possível venda casada em campanha oferecida pela Rede. Mercado está em ebulição e há disputas judiciais em curso.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G