Clicky

GOVERNO » Legislação

Restrição de acesso à nova Lei de Informática é inconstitucional

Luís Osvaldo Grossmann ... 09/10/2019 ... Convergência Digital

Para além do prazo de uma tramitação tranquila, a Medida Provisória com ajustes na Lei de Informática é esperada para os próximos dias mas tende a sair com uma encrenca jurídica a ser resolvida pelo Congresso Nacional. Pelo menos dois pareceres, tanto do MCTIC como do Ministério da Economia, indicam que a restrição de acesso aos incentivos, desejada pelo Fisco, seria inconstitucional. 

O novo mecanismo tributário, por outro lado, foi pacificado nos dois lados da Esplanada dos Ministérios e já virá contemplado no texto da MP. Evitou-se que a compensação ficasse concentrada somente no imposto de renda, o que tornaria o instrumento de utilidade duvidosa. O texto já chegará ao Parlamento substituindo o IPI por crédito genérico em tributos administrados pela Receita Federal. 

Se esse é o coração da nova Lei de Informática, é igualmente certo que aquela restrição de novas adesões ao regime vai concentrar os debates entre deputados e senadores. A interpretação nos pareceres que contestam a ideia é de que ao impedir que novas empresas se utilizem dos mecanismos que reduzem imposto mas exigem pesquisa, a nova lei poderia ficar ainda mais restritiva do que aquela condenada na Organização Mundial do Comércio. 

Com prazos estourados, a tentativa de manter previsível e sem novidades o tamanho da renúncia fiscal chegou no limite das discussões internas no governo. Para cumprir o compromisso de ter novos instrumentos em vigor já em 1o de janeiro de 2020, a expectativa era de que essa MP chegasse ao Parlamento ainda em meados de agosto. A preocupação é menos com a tramitação em si do que com que ela seja concluída a tempo de ser cumprida a noventena – o prazo de 90 dias para que alterações tributárias entrem em vigor. Não por menos, as novas projeções são de que a lei esteja aprovada antes do Ano Novo, mas a vigência seja um pouco atrasada. 


LGPD: cidadão vai controlar dados pessoais pelo portal Gov.br

Promessa é secretário de governo digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. Plataforma permitirá ao cidadão revogar autorizações, ou reclamar à CGU.

Economia será o 'tinder' do financiamento para evitar desperdício no governo digital

“Não faz sentido um estado investir em uma identidade digital se já temos uma no governo, ou dois municípios gastarem com plataforma de gestão de tributo local”, explica o secretário Luis Felipe Monteiro.

Estados e municípios vão ficar com US$ 1 bilhão do BID para digitalização

Ao Convergência Digital, o secretário de governo digital, Luis Felipe Monteiro, assegura: “Impacto na economia vai chegar a R$ 100 bilhões."

Deputados aprovam urgência para o PL de privatização dos Correios

União teria a obrigação de  prover o serviço postal universal, que inclui encomendas simples, cartas e telegramas. Todos os outros produtos poderão, se o PL 591/21 for de fato aprovado no Congresso Nacional, serem repassados à iniciativa privada.

Ministério da Justiça exige cadastro de redes sociais no Consumidor.gov.br

Nova portaria da Secretaria Nacional do Consumidor amplia o rol de empresas que devem fazer parte do portal de mediação online de atendimento aos consumidores. 



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G