TELECOM

NEC quer jogar o 'jogo' do 5G e entrar numa PPP para cidades inteligentes

Ana Paula Lobo e Fábio dos Santos ... 06/11/2019 ... Convergência Digital

A NEC quer voltar a crescer no Brasil e retomar sua posição no mercado, adianta o VP de Marketing e Vendas da NEC no País, Angelo Guerra, recém-contratado pela fabricante. Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, durante o Futurecom 2019, realizado de 28 a 31 de outubro, em São Paulo, o executivo disse que a atuação da NEC está muito tímida com o portfólio de produtos existentes e planeja crescer no setor público e nas empresas.

"O mercado de telecomunicações é estratégico e continuará sendo. Seremos integradores e orquestradores, mas vamos investir para crescer no setor público e nas empresas", afirmou Angelo Guerra. "O Governo ficou muito tempo sem investir, mas sabemos que a transformação digital determina um novo ciclo de aportes em tecnologia e a NEC tem parcerias sólidas para atuar no segmento", acrescentou o executivo. A biometria aparece como um diferencial de mercado. Hoje a NEC tem parceria com três estados e quer ampliar o negócio para mais unidades da federação.

Com relação ao 5G, Angelo Guerra enfatizou que a NEC quer jogar forte o jogo no Brasil como está jogando no mercado japonês, mas precisa entender a estratégia da Anatel por conta da frequência a ser escolhida para definir se virá com equipamentos próprios ou se com OpenRAN", disse. O executivo antecipou ainda um plano estratégico da NEC: participar de uma Parceria Público-Privada em um projeto de Cidade Inteligente, num modelo semelhante ao já feito no Japão e em Santander, na Espanha. Assista à entrevista com Angelo Guerra, VP de Marketing e Vendas da NEC no Brasil.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Abranet: Revisão do marco de telecom tem que abrir espaço para voz no SCM

Entidade diz que a revisão do marco legal de telecom exige uma avaliação do mercado de telefonia no Brasil, com ajustes regulatórios capazes de abrir o segmento aos prestadores de SCM, com recursos de numeração e sistemas de áreas de tarifação nos moldes da telefonia celular.

Anatel vai licitar posições de satélite, mas muda termos para atender Claro e Hispamar

Proposta de leilão de 15 posições orbitais entrará em consulta pública por 20 dias. Mas como aumentou o prazo das atuais licenças dessas empresas, foi preciso alterar o edital. 

Orquestração de rede 5G é prioridade da Ciena

Fabricante descarta uma produção local no curto prazo, mas se surgirem oportunidades, a avaliação será feita, conta o gerente geral da Ciena no Brasil, Fernando Capella.

American Tower: "Seguimos olhando todo ativo compartilhável"

O CEO da companhia, Flavio Cardoso, diz que o investimento redundante em fibra óptica por conta do 5G não é eficiente e que é preciso pensar na economia comparitlhada. "Nós queremos ser os gestores desses ativos para evitar conflitos como o do uso dos postes nas grandes cidades."




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G