Convergência Digital - Home

Escassez de talentos em dados trava avanço de novas aplicações

Convergência Digital
Convergência Digital - 06/01/2020

Em colaboração com os principais analistas e influenciadores da Forrester, IDC, Constellation Research, Ventana Research e outros, a MicroStrategy, empresa especializada em inteligência de negócios, destaca tendências e suas percepções que cobrem desde a inteligência artificial e móvel, à explosão de dados, fontes de dados, além de alguns fatores humanos, que incluem uma escassez prevista de talentos em Data Analytics. A empresa elaborou um top 10 de ações para 2020. Saiba quais são elas:
 
1. Deep Learning oferece uma vantagem competitiva

"Em 2020, os holofotes no que tange Deep Learning estarão voltados para a relação entre saber e fazer. Não é mais apenas uma palavra da moda, o advento pragmático do Deep Learning para prever e entender o comportamento humano configura-se como uma tempestade disruptiva em como as empresas empregarão a inteligência contra seus concorrentes"- Frank J. Bernhard, diretor de dados e autor de "SHAPE—Digital Strategy by Data and Analytics .

2. AutoML melhora o ROI das iniciativas de ciência de dados

"O Machine Learning é uma das tecnologias de mais rápida evolução nos últimos anos, e a demanda por desenvolvimento de Machine Learning aumentou exponencialmente. Esse rápido crescimento, criou uma demanda por modelos prontos para uso que possam ser aplicados ​​com facilidade e sem conhecimento de especialistas. "Marcus Borba, fundador e consultor principal da Borba Consulting.

3. O gráfico semântico se torna fundamental para agregar valor aos negócios

"O gráfico semântico tornar-se-á a espinha dorsal que suporta Data e Analytics em um cenário de dados que muda constantemente. As organizações que não usam um gráfico semântico correm o risco de ver o ROI relacionado às análises cair devido à complexidade crescente e aos custos organizacionais resultantes"- Roxane Edjlali, diretora sênior de gerenciamento de produtos da MicroStrategy e ex-analista do Gartner.

4. A visão humana torne-se ainda mais importante à medida que o volume de dados aumenta

"À medida que mais e mais pessoas sentem-se à vontade trabalhando com dados, eles também devem familiarizar-se com a etnografia dos mesmos ou com o estudo dos pontos aos quais se relacionam, o contexto em que foram coletados e o entendimento de que o dado sozinho não traz um cenário completo da situação" - Chandana Gopal, Diretora de Pesquisa, IDC.

5. A nova geração de Embeeded Analytics acelera o tempo e obtenção de insights

"A análise concisa fornecida no contexto de aplicativos e interfaces específicos acelera a tomada de decisões. Esse estilo de incorporação e a curadoria de análises concisas e contextuais podem levar mais tempo, e com os avanços, incluindo métodos de desenvolvimento no-code e low-code, estamos vendo uma adoção crescente da próxima geração de Embeeded Analytics. "- Doug Henschen, VP e Analista Principal, Constellation Research.

6. A necessidade de combinar fontes de dados continua a crescer

"Esperamos ver um foco contínuo na diversidade de dados. As organizações raramente têm uma plataforma única e padronizada de Data e Analytics, e várias ferramentas são usadas para acessar os dados. A necessidade de combinar essas fontes de dados só continuará crescendo. "- David Menninger, vice-presidente sênior e diretor de pesquisa da Ventana Research.

7. Habilidades orientadas a dados tornam-se um requisito nas companhias

"As empresas precisarão focar sua atenção não apenas nos esforços de recrutamento para de pessoas com fortes habilidades analíticas, mas também na educação, na qualificação e no aprimoramento dos funcionários atuais, à medida que a necessidade de tomada de decisão baseada em dados só aumenta - e a escassez de talentos, também" - Hugh Owen, vice-presidente executivo de educação mundial, MicroStrategy.

8. AI é real e está pronta

"Mais desses CDAOs e CIOs confiantes garantirão que as equipes de ciência de dados tenham o que precisam para serem eficientes, e para que possam gastar 70%, 80% ou 90% de seu tempo realmente criando modelos de IA para serem implementados"- Srividya Sridharan, Mike Gualteri, JP Gownder, Craig Le Clair, Ian Jacobs, Andrew Hogan, Previsões 2020: Inteligência Artificial - É hora de transformar o artificial em realidade (Cheques), Forrester, 30 de outubro de 2019.

9. A Inteligência Móvel evolui para 2020 e além

"Metade das organizações vai reavaliar o uso de dispositivos móveis e concluirá que sua tecnologia não atende adequadamente às necessidades de seus funcionários, levando-os a examinar uma nova geração de aplicativos móveis que permitem uma melhor experiência de trabalho e uma conectividade muito mais eficaz para o restante da organização e para os clientes. "- Mark Smith, CEO e Diretor de Pesquisa, Ventana Research.

10. O futuro do Experience Management é potencializado pela IA

"À medida que os aplicativos são decompostos pelo processo de negócios para headless microservices, a automação e a inteligência irão desempenhar um importante papel na criação de personalização e eficiência em massa, e em escala. A Empresa Inteligente levará o contexto e o Data Analytics para impulsionar suas próximas ações. "- R" Ray "Wang, Fundador e Analista Principal, Constellation Research.

O conteúdo completo do relatório pode ser acessado aqui.


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Disseminação de serviços em nuvem puxa investimentos globais em TI

Segundo projeções da consultoria Gartner, gastos devem bater em R$ 15 trilhões neste ano e crescer 3,7% em 2020, puxados por cloud computing. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Você já pensou no impacto que os seus dados geram no planeta?

Por Gustavo Loiola*

Hoje, são milhares de data centers espalhados pelo Planeta. É engraçado pensar nisso quando hoje falamos da tal da “nuvem" que armazena os nossos dados. Tiramos uma foto? Vai para a nuvem. Postamos no Instagram? Vai para a nuvem. Netflix, Spotify, Deezer? O streaming também está na nuvem.

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site