Teles e TVs terão solução conjunta para impacto do 5G nas parabólicas, mas EAD ainda é dúvida

Luís Osvaldo Grossmann ... 29/01/2020 ... Convergência Digital

Operadoras móveis e emissoras de televisão anunciaram nesta quinta, 29/1, um avanço significativo na costura para a implantação do 5G no Brasil, acenando com uma solução conjunta para os problemas de interferência que o uso da faixa de 3,5 GHz pelos celulares provoca nas antenas parabólicas. Em essência, as TVs aceitam a mitigação por meio de filtros (LNBF) nas antenas e pela adoção de uma banda de guarda de 100 MHz. 

“Considerando os últimos resultados apresentados pelo CPqD, decorrentes da utilização de novos modelos de filtros LNBFs e de uma banda de guarda de 100MHz na faixa de 3,7 GHz a 3,8 GHz, as signatárias compreendem que se torna possível a adoção de uma solução técnica de mitigação de eventuais interferências, mantendo a TVRO na Banda C”, diz nota assinada pela Abratel, Abert e pelo Sinditelebrasil. 

Em números, significa adotar uma mitigação mais próxima dos R$ 500 milhões do que dos R$ 8 bilhões com a migração das TVs para a banda Ku, como queriam as teles. O que vale como contrapartida ao aceno da radiodifusão, no entanto, ainda está pendente. As emissoras de televisão querem manter em atividade a EAD, Empresa Administradora da Digitalização, também batizada ‘Seja Digital’, empresa criada pelas teles móveis para servir de braço operacional da migração da TV no Brasil, que envolveu a ‘limpeza’ da faixa de 700 MHz, e da mitigação dos problemas a ela relacionados. 

“Esse impasse ainda não foi solucionado, mas há uma predisposição das teles de avaliar e a composição passa por aí. Na questão do 5G, as emissoras de TV reconhecem os bons resultados com utilização dos novos LNBFs nos testes em laboratório. Eles melhoraram bastante e poderão ajudar a resolver, juntamente com a banda de guarda. Agora vamos aos testes de campo. Enquanto isso vamos criar dois grupos, um jurídico, um técnico, para analisar demais questões de mitigação do 5G, bem como o uso do saldo [do leilão 4G] e a EAD”, explica o engenheiro da Abratel Wender Souza. 

O avanço na negociação já foi devidamente comunicado à Anatel e ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. A intenção de teles e TVs é que esses dois grupos de trabalho avancem na construção da proposta conjunta de forma que ela possa ser formalizada durante a consulta pública do edital do 5G, ainda na dependência de superação de outro tipo de impasse na agência reguladora. Até lá, como ressaltado na própria nota divulgada nesta quinta, espera-se que os testes de campo confirmem o bom desempenho dos filtros. 

Em que pese serem temas distintos – 4G e 5G – uma solução acordada é o objetivo de ambos os lados. As teles preferem ver a EAD, criada pelas vencedoras do leilão 4G de 2014, Vivo, Claro, Tim e Algar, extinta com o fim das obrigações associadas àquele edital. As TVs sustentam que o projeto para uso do saldo remanescente dessas obrigações, coisa de R$ 1,2 bilhão, é uma continuidade do mesmo trabalho, visto tratar de garantir transmissão e recepção dos sinais digitais de televisão em municípios ainda analógicos. 

Eis a nota conjunta: 

"A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão – ABERT, a Associação Brasileira de Rádio e Televisão – ABRATEL e o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal – SINDITELEBRASIL, informam que realizaram uma série de reuniões com a finalidade de discutir propostas de soluções que permitam a convivência entre os serviços de TV aberta por satélite (TVRO) e de banda larga de quinta geração (5G).

Considerando os últimos resultados apresentados pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento - CPqD, decorrentes da utilização de novos modelos de filtros LNBFs e de uma banda de guarda de 100MHz na faixa de 3,7 GHz a 3,8 GHz, as signatárias compreendem que se torna possível a adoção de uma solução técnica de mitigação de eventuais interferências, mantendo a TVRO na Banda C, ressaltando ainda que nos próximos meses serão realizados testes complementares de campo pelo CPqD que poderão confirmar os resultados obtidos até o momento.

Ao reconhecerem a relevância da TVRO e do 5G para a sociedade brasileira, as signatárias estabelecerão nos próximos dias um cronograma de trabalho que permita a apresentação tempestiva de uma proposta conjunta ao Poder Público, mais especificamente ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC e à Agência Nacional de Telecomunicações - Anatel."

 


Internet Móvel 3G 4G
Huawei dá o troco e Qualcomm alerta para o risco dos EUA perder muito dinheiro

Em documentos ao governo dos EUA, a fabricante adverte que o bloqueio não vai impedir acesso da fabricante à tecnologia de ponta, mas sim prejudicar os fornecedores americanos, inclusive, no 5G. Huawei já avisou que Mate 40 será último com chip Kirin.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G