GOVERNO » Compras Governamentais

Anatel abre licitação de R$ 6,8 milhões para serviços de TI

Luís Osvaldo Grossmann ... 20/04/2020 ... Convergência Digital

A Anatel abriu nesta segunda, 20/4, um edital para contratação de serviços de tecnologia da informação, em regime de dedicação exclusiva de mão de obra de profissionais nas áreas de cientista de dados, analista de dados sênior e analista de dados pleno, para os quais já define remuneração mensal mínima em um contrato de até 20 meses, que chega ao montante global de R$ 6,85 milhões. O pregão eletrônico está previsto para 4/5. 

O objetivo é substituir o contrato atual, diante da expressa insatisfação da Anatel com o formato ‘Catálogo/UST’.  “O Contrato mencionado não era caro apenas quanto à sua gestão operacional, como também era caro frente ao que conseguimos efetivamente entregar dentro do limite financeiro estabelecido e à percepção de valor para a área de negócio, que, sobre este último aspecto, para atender melhor as necessidades demandaria tantas interações e Chamados pormenorizados sobre cada uma que se tornaria insustentável a execução do Contratual no dinamismo e agilidade que entendemos serem mais promissores.”

Ao todo, a agência quer contratar 14 profissionais – 2 cientistas de dados, 8 analistas sênior e 4 plenos, por valores mensais de R$ 26,6 mil, R$ 25,1 mil e R$ 21,9 mil, respectivamente, considerando-se os valores dos contratos. São números de referência do edital, portanto, valores máximos da licitação. Mas o edital também indica para os profissionais uma remuneração mínima mensal de R$ 12,4 mil, R$ 11,7 mil e R$ 10,1 mil, respectivamente. Além disso, a Anatel destaca que se trata de uma contratação para execução sob demanda, sem compromisso de execução mínima.

Mas ao definir valores, a Anatel justifica que “para evitar a disponibilização de profissionais de menor competência para atender às necessidades da Contratante, onde o custo-benefício da disponibilização determina por se mostrar invariavelmente desfavorável à agência, como aliás já se verificou em contratações pretéritas na área de TIC, deseja-se que o modelo possa mitigar os riscos de atraso e baixa qualidade das entregas, insatisfação das áreas de negócio, não alcance dos benefícios esperados com o projeto ou necessidade demandada, retrabalhos futuros e rotatividade de profissionais pelo favorecimento da contratação de profissionais mais qualificados e experientes, com decorrente e natural ampliação dos patamares de remuneração e da senioridade dos profissionais alocados”.

Explica a Anatel que “não se pretende adotar a mensuração de resultados com alocação de postos de trabalho de forma simples e despojada, mas sim pretende-se abraçar um modelo híbrido de terceirização onde a remuneração da Contratada esteja diretamente vinculada a um resultado objetivamente estabelecido e mensurável”.

E sustenta que buscou inspiração no Tribunal de Contas da União. “Destaca-se que a inspiração para o modelo ora adotado foi buscado no modelo de remuneração e demais requisitos da contratação adotado pelo TCU no Pregão Eletrônico nº 40/2017, para contratação de serviço de aprimoramento da experiência do usuário e de design de interface de usuário de sistemas de informações, e no Pregão Eletrônico nº 046/2018, também do TCU, para contratação de serviço de desenvolvimento de software com práticas ágeis.”


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

PL quer adiar venda do Serpro, Dataprev, Telebras e outras estatais

Proposta, que está em análise na Câmara dos Deputados, ressalta que o 'períodos de crise são um excelente momento para quem compra e péssimo para quem vende'. Privatizações estão agendadas para junho de 2021. Ideia é adiar as vendas para 12 meses após o fim da pandemia de Covid-19.

STF derruba MP que mandava teles repassarem dados de clientes ao IBGE

Prevaleceu o entendimento da relatora, Rosa Weber, de que a ordem de recolher nome, endereço e telefone de todos os clientes de telefonia fixa e móvel configura medida excessiva, sem finalidade delimitada ou garantias suficientes. 

Governo lança guia de melhores práticas de adequação à LGPD

Manual ressalta que o compartilhamento de informações na administração é possível, mas precisa respeitar os princípios da Lei Geral de Proteção de Dados. 

Toffoli pede vista e adia julgamento sobre bitributação do software no STF

Suspensão do julgamento agrada o setor de tecnologia da informação, que defende uma análise conjunta das diferentes ações sobre o mesmo tema, uma vez que a primeira delas já tem mais de 20 anos. 

“Sem clima”, governo adia privatização de Serpro, Dataprev e Telebras

Secretário de desestatização, José Salim Mattar, por conta do coronavírus, empurrou toda a agenda de venda de ativos. Por enquanto, estatais de TI ficaram para o fim de 2021. A Telebras foi para 2022. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G