Convergência Digital - Home

Uso de nuvem cresce em empresas de todos os portes no Brasil

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 28/04/2020

A nova pesquisa TIC Empresas, divulgada nesta terça, 28/4, pelo Cetic.br, braço de estudos do NIC.br, mostra que o uso de diferentes serviços providos por meio de computação em nuvem vai aos poucos se espalhando por diversos portes de empresas no Brasil. 

Os indicadores relativos a 2019 mostram um aumento no uso de diversas ferramentas na comparação com o levantamento anterior, de 2017. O uso de email em nuvem passou de 27% para 39% das empresas, enquanto o armazenamento de arquivos ou bancos de dados cresceu de 25% para 38%. 

Ainda segundo a pesquisa, o uso de software de escritório em nuvem ampliou-se de 20% para 27% entre 2017 e 2019. Assim como também cresceu o uso de capacidade de processamento em nuvem, de 16% para 23% na mesma comparação. 

“Vários serviços tradicionais usados hoje pelas empresas são oferecidos em nuvem. Mas vale destacar a capacidade de processamento, que pode ser entendido como um uso mais qualificado, mas que já entra na rotina. Mesmo considerando-se que nuvem ainda é um serviço concentrado em grandes empresas, há crescimento”, avalia o gerente da pesquisa, Leonardo Lins. 

A pesquisa entrevistou 7 mil empresas com 10 ou mais empregados – portanto, abrangendo pequenas, médias e grandes empresas. E de fato os percentuais de utilização de nuvem são maiores quanto maior o porte da organização entrevistada. 

Mas como ressaltado pelo gerente da pesquisa, mesmo nas pequenas o uso da nuvem vai sendo disseminado. Assim, se o email em nuvem está em 63% das grandes empresas, é um serviço que faz parte de 54% das médias mas também é realidade para 36% das pequenas. 

Da mesma forma, no caso de armazenamento de arquivos, a nuvem é usada por 54% das grandes, 48% das médias e por 36% das pequenas empresas. Cenário semelhante para software de escritório – 39%, 32% e 26% – e para capacidade de processamento, presente em 37%, 29% e 22% das empresas, respectivamente. 


LEIA TAMBÉM:
Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Fleury cria empresa baseada em ciência de dados e inteligência artificial

Saúde ID funcionará como um marketplace de serviços ligados à saúde e recebeu investimentos de R$ 50 milhões. O paciente terá todas suas informações de saúde integradas em uma única plataforma, que poderá oferecer às empresas e operadoras um serviço com algoritítimos preditivos.

No Brasil, empresas 'confiam, desconfiando' das multiclouds

Estudo, feito pela F5 com vários países da América Latina, mostra que as organizações têm menos confiança na capacidade da nuvem pública resistir a um ataque hacker voltada às aplicações. Escolha da nuvem é feita aplicação por aplicação.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem privada?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site