Convergência Digital - Home

Governo mantém ‘cloud first’ e prepara nova licitação para reduzir datacenters

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 30/04/2020

A nova Estratégia de Governo Digital, expressa na forma do Decreto 10.332/20, reafirma a política de ‘nuvem primeiro’, fortalecendo o que já tinha virado norma para os órgãos da administração federal com a Instrução Normativa 1, publicada em abril de 2019. A EGD lista dentre as iniciativas a migração dos serviços de pelo menos 30 órgãos até 2022, ao mesmo tempo em que prevê “otimizar” no mínimo 30 datacenters.

“Realizamos, no final de 2018, uma contratação de serviços de nuvem bastante importante, que inaugurou o uso de nuvem pelo governo. Na nossa opinião, essa contratação até o momento foi um sucesso. Tivemos grande procura dos órgãos. Mas está chegando ao final, o volume de serviços a serem contratados já está exaurindo. E obviamente precisamos dar continuidade, porque nossa estratégia é de ‘cloud first’, então queremos ir primeiro para nuvem e evitar expandir de forma desestruturada os datacenters do governo. Portanto teremos novas contratações de nuvem em futuro bem próximo”, adianta o secretário de governo digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. 

O governo federal tem mais de 130 datacenters e segundo explica Monteiro, muitos deles não oferecem condições necessárias para continuar operando. Por isso, muita coisa vai para a nuvem ou para aqueles datacenters avaliados como de maior maturidade. 

“O governo criou infraestrutura de forma muito desestruturada, desorganizada, descoordenada talvez seja o termo. Cada órgão, cada ministério, cada agência tem seu próprio datacenter. Isso é totalmente irracional. Primeiro porque gasta muito para montar, tem custo fixo grande, gasta muito na operação, e perde sinergia e poder de escala e mobilização porque esses datacenters não se comunicam. Hoje temos mais de 130 datacenters espalhados nos órgãos federais”, diz o secretário.

Segundo ele, “há um volume pequeno de datacenters muito maduros e muito bem avaliados que devem continuar e expandir seus serviços. Mas há na base da pirâmide um volume considerável de datacenters com baixa maturidade. Eles não tem condições que consideramos essenciais no governo para suportar serviços de missão crítica. O que vamos fazer é o ‘moving’ desses datacenters com menor maturidade para datacenters com maior confiabilidade e entre eles a nuvem vai ser objeto da recepção desses serviços, dados e sistemas. Eles não atendem em qualidade, em custos, nem têm condições de escalar para receber a demanda da transformação digital.” Assistam ao trecho da entrevista com Luis Felipe Monteiro.


Destaques
Destaques

Embratel centraliza dados do ministério da Saúde na nuvem

Os dados do Portal do Ministério da Saúde, do Portal Coronavírus e e-SUS-VE foram 100% migrados para a nuvem da Embratel. Entre os aplicativos migrados está o CoronavírusSUS. Os apps de saúde já atingiram picos de mais de 80 milhões de acessos diários.

Compartilhamento de dados fomenta o big data no governo federal

A TIC Governo Eletrônico 2019 mostra que ainda há muito por usar em análise de dados no governo. O MPF foi o maior utilizador dos dados para análise. O Executivo ficou com apenas 20%. Serviços na nuvem também ficam aquém do desejado.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Transformação digital exige eficiência no gerenciamento

Por Luiz Fernando Souza*

Prevenir é sempre melhor do que remediar. Essa é uma máxima que precisa ser aplicada à transformação digital, e vale quando falamos da gestão dos servidores. E as razões são simples: é menos sofrido, menos dolorido e mais barato manter uma rotina de trabalho focada na manutenção, preservando com inteligência dados e sistemas.

Jornada para a nuvem: evite as armadilhas e faça a coisa certa

Por Fábio Kuhl*

Até bem pouco tempo, a nuvem era inovação, hoje me arrisco a dizer que, em breve, uma commodity.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site