Claro/Embratel, TIM e Vivo estão fora do processo de venda da infraestrutura de rede da Oi

Ana Paula Lobo ... 16/06/2020 ... Convergência Digital

Em entrevista aos portais especializados - Convergência Digital, Tele.Síntese e Teletime - o CEO da Oi, Rodrigo Abreu, afirmou que as rivais- Claro/Embratel, TIM e Vivo - estão fora do processo de venda da unidade de infraestrutura, batizada de InfraCo, no aditamento ao plano de Recuperação Judicial, apresentado nesta terça-feira, 16/06, ao mercado.

"Foi uma decisão nossa não ter as nossas rivais entre as possíveis compradoras.  A ideia é ter uma rede neutra que mais à frente terá até 30% da sua receita vinda do mercado. Também decidimos que não haverá fatiamento, ou seja, a InfraCo será uma empresa nacional, de escala e de grande atratividade. Ela tem um grande potencial para atender o presente e o futuro", afirmou Abreu.

O executivo explicou ainda que a ClientCo, ou a Oi S.A., manterá toda a carteira de clientes do Oi Fibra, da telefonia fixa, da TV, dos clientes B2B, da Oi Soluções. A separação será estrutural. "Quem tem o cliente final é a ClientCo. Nós vamos contratar e pagar a infraestrutura usada da InfraCo ou de quem vier comprá-la". Segundo Abreu, sem ter de investir em desenvolvimento de produto, em marketing, vendas e aquisição de clientes, a InfraCo vai gerar caixa operacional ainda no seu primeiro ano de operação".

Abreu assegura que a primeira fase da rodada da venda da infraestrutura já está acontecendo e que há muito interesse de fundos financeiros. "Está tendo competição e bastante interesse", disse, sem revelar quem seriam esses compradores. Expectativa da Oi é finalizar todo o processo de reestruturação até o final de 2021. "Se tudo sair como planejamos, a Oi S.A., ou ClientCo, será uma empresa de R$ 10 bilhões de receita, e com solidez operacional e financeira. Mas é certo que ainda temos muito trabalho pela frente", adicionou. O CEO da Oi evitou, porém, em falar sobre redução de funcionários em função do novo processo de alinhamento da recuperação judicial.


Internet Móvel 3G 4G
Proteja os seus dispositivos IoT. A LGPD chegou e pode pesar no bolso

As corporações estão obrigadas a repensar a proteção de dados. Atualizações constantes, trocas de senhas, autenticação em dois fatores são exemplos de medidas básicas que precisam ser massificadas. 

Oi entra na disputa do mercado de marketplaces para consolidar marca de consumo

Plataforma OiPlace chega ao mercado com mais de 3 mil produtos. Tele também incluiu canal ao vivo no Oi Play, a partir da mudança da regra de conteúdo na Internet pela Anatel.

Em três meses, Anatel e PF apreendem mais equipamentos irregulares que em todo 2019

Somente entre julho e setembro deste 2020 foram 243,7 mil equipamentos sem certificação, entre baterias, carregadores, TV boxes, smartwatches e conversores digitais com Wi-Fi.

5G: Teles insistem em filtro nas parabólicas e rejeitam migração da TV

Estudo contratado pelas operadoras diz que mitigação da inferências do 5G nas antenas custaria R$ 224 milhões, enquanto transferir a recepção para a Banda Ku, acima de 10 GHz, seria R$ 1,8 bilhão. 

Para vender Correios, Minicom transforma Anatel em Agência Nacional de Comunicações

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, à Presidência da República o projeto de lei (PL) que cria as condições para a privatização dos Correios. Texto vai para o Congresso. Expectativa é fazer a privatização em 2022.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G