Clicky

Decreto regulamenta nova lei de telecom, mas renovação de frequência é dúvida

Luís Osvaldo Grossmann ... 17/06/2020 ... Convergência Digital

Levou uma gestação. Nove meses depois da sancionar a Lei 13.879/19, Jair Bolsonaro assinou nesta quarta, 17/6, o Decreto que regulamenta o novo marco legal das telecomunicações. Mas o ponto de fundamental interesse das operadoras, a garantia de que terão renovadas as radiofrequências já outorgadas, ainda dá margem à dúvidas. 

Diz o texto, firmado durante a posse do novo ministro das Comunicações, Fabio Faria:

“No exame dos pedidos de prorrogação de outorgas regidos pelo disposto nos artigos 99, 167 e 172 da Lei 9.472, de 16 de julho de 1997, inclusive aquelas vigentes na data de publicação da Lei 13.879, de 3 de outubro de 2019, ainda que já tenham sido objeto de prorrogação, a Anatel levará em consideração: 

I – a expressa e prévia manifestação de interesse por parte do detentor da outorga; 

II – o cumprimento de obrigações já assumidas; 

III – aspectos concorrenciais; 

IV - o uso eficiente de recursos escassos; 

V – o atendimento ao interesse público.

Parágrafo único. Visando promover e preservar a justa e ampla competição e impedir a concentração econômica do mercado, a Anatel poderá estabelecer restrições, limites ou condições no deferimento de prorrogações.”

Quem acompanha o tema de perto, explica que a nova redação é melhor que as anteriores, mas ainda não dá conforto seguro para quem vai assinar a renovação de espectro já prorrogado – afinal, fora do que estava previsto quando a frequência foi licitada. 

De fato, as tratativas entre governo e Anatel, com forte presença dos departamentos jurídicos, e uma especial intervenção da Advocacia-Geral da União, acabaram por “melhorar” o texto final sob a perspectiva de viabilizar a renovação mesmo nesses casos. 

O MCTIC ia adotar uma linha de permitir a renovação caso a Anatel entendesse que uma nova licitação fosse inviável ou pudesse interromper o uso do espectro. No fim, prevaleceu a inclusão de conceitos como “aspectos concorrenciais” e “o atendimento ao interesse público”. Abriu-se, assim, alguma subjetividade a ser preenchida com extensas justificativas da agência reguladora, em análises que deverão ser feitas caso a caso. Mas como sempre defendeu a Anatel, a renovação das frequências  mais que uma garantia, é uma faculdade.


Internet Móvel 3G 4G
5G privado para o B2B faz Telefônica fazer teste com rede open source TIP

Apetite das teles pelo 5G empresarial fez operadora, dona da Vivo, aderir a um grupo de trabalho para desenvolver uma arquitetura mais flexível em relação às operações tradicionais. Nova infraestrutura vai incorporar o OpenRAN. Testes em laboratórios serão em Madrid. Os de campo vão acontecer em Málaga, mas a operadora não revela cronograma de datas.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Oi: fibra ótica é o chassi de suporte para Wi-Fi 6, Wi-Fi 6E e 5G

Para o VP da Oi, Carlos Eduardo Monteiro, o Brasil tem desafios a vencer para a expansão do Wi-Fi 6, como ofertar mais segurança jurídica e regulatória para os investimentos. O câmbio – já que todos os aportes e equipamentos são atrelados ao dólar – desponta como um gargalo a ser enfrentado.

Pequenos provedores querem antecipar uso outdoor do Wi-Fi 6E

“Desenvolver toda a base de dados leva tempo. Mas há operações que já sabemos onde são usadas e onde evitar problemas. Então podemos começar a implementar desde já”, diz o presidente da Associação Neo, Alex Jucius. 

GSMA: há risco no uso do Wi-Fi 6E em ambiente outdoor

Entidade insiste na necessidade de destinar uma parte dos 1200 MHz do espectro de 6 GHz para a oferta de serviços licenciados. "Essa faixa é mais viável para atender a demanda de espectro de banda média", afirma o diretor para a América Latina na GSMA, Lucas Gallitto.

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi
Empresa brasileira se prepara para oferecer Wi-Fi como serviço
Cambium Networks: é urgente a necessidade de atualização das redes para o Wi-Fi 6
IDC: Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E exigem evangelização por parte do ecossistema
Facebook: risco de interferência em 6 GHz não afeta a oferta do serviço
Brasil assume liderança e se torna hub do Wi-Fi 6E nas Américas
Veja mais matérias deste especial

Integração da Oi Móvel pela TIM começa pelas frequências e tem prazo de 12 meses

Estratégica para os planos da tele no Brasil nos próximos anos, a integração dos ativos da Oi Móvel começará 'nos dias subsequentes' à aprovação do negócio, afirmou o CEO Pietro Labriola.

Anatel estima que 5G vai custar R$ 35 bilhões no Brasil

Compromissos de cobertura previstos superam os R$ 23 bilhões. Cálculos anda precisam passar pelo crivo do Tribunal de Contas da União.  Anatel também prevê investimentos de mais de R$ 80 bilhões nos próximos 20 anos.

Governo retira exclusividade da Telebras da gestão da rede privada

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, revelou que vai alterar Decreto Presidencial para dar às teles a opção de gerenciar à rede tirarando a exclusividade até então concedida à Telebras.

Vivo assume que rede neutra fará a diferença no 5G

Batizada de FiBrasil, a rede neutra terá papel central na estratégia nacional, afirmou o CEO da Vivo, Cristian Gebara.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G