Clicky

Teles e TVs brigam por R$ 1 bilhão da TV Digital e Anatel busca consenso

Luís Osvaldo Grossmann ... 21/07/2020 ... Convergência Digital

Dois meses depois da decisão unilateral que destinou as sobras da implantação da TV Digital, a Anatel ainda corre atrás de recompor o consenso entre operadoras móveis e emissoras de televisão. Formalmente, um recurso das teles tenta reverter o uso do saldo, superior a R$ 1 bilhão, em projetos de interesse da radiodifusão. 

“As empresas já mostraram ser possível um entendimento. Aquele acordo se desfez, mas estou seguro que será possível reconstruirmos o consenso”, afirma o presidente da agência, Leonardo de Morais, a quem cabe a decisão sobre o pedido de efeito suspensivo apresentado pelas operadoras. 

De fato, houve um momento em que o Gired, o grupo que reúne teles, TVs, Anatel e governo, avançou na divisão das sobras em projetos do interesse dos dois segmentos. Ou seja, haveria dinheiro para mais conversores e transmissores, mas também para banda larga móvel. 

Restava afinar a gestão dos novos projetos, uma vez que as operadoras móveis querem o ateste das obrigações do edital de 700 MHz para desfazerem a EAD, a empresa formada por elas por obrigação do leilão e que ficou responsável pela distribuição equipamentos e mitigação de interferências. 

Mas eis que veio a pandemia de Covid-19 e com ela uma série de movimentos, no Judiciário e nos Parlamentos federal e estaduais, para garantir a manutenção da conectividade e telefonia mesmo para quem deixasse de pagar os boletos. Acuadas com o risco de inadimplência protegida, as teles sacaram o uso do saldo da TV Digital para cobrir o buraco. Deu-se a cizânia.

A radiodifusão fez avançar a aprovação dos projetos grupo de implantação da TV Digital. As teles votaram contra, mas o presidente do Gired, o conselheiro Moisés Moreira, avocou a prerrogativa de decidir em casos sem consenso. Como resultado, em 26/5 o Gired decretou o provisionamento de recursos das sobras para a distribuição de conversores e transmissores. 

Em que pese clamar 17 vezes pelo consenso, o recurso apresentado por Algar, Claro, TIM e Vivo, as teles móveis que venceram o leilão do 4G, esgrime os argumentos do que claramente ganhará o Judiciário caso não haja recuo para uma solução negociada. Além de insistirem na dissolução da EAD – ou pelo menos na possibilidade de deixarem a empresa – as teles argumentam que o próprio saldo deve deixar de existir, sendo revertido ao “fundo próprio de setor de telecomunicações”. 

Para as teles, com a recente decisão de que os sinais analógicos de TV não serão desligados em 2023, mas funcionarão em caráter secundário, como indicado na Resolução 721/20, da própria Anatel, não há mais que se falar em obrigações editalícias. 

“Em um cenário em que (i) o desligamento do sinal analógico de radiodifusão não guarda mais relação com a implementação das redes de SMP e/ou que (ii) o desligamento do sinal analógico não venha a ocorrer, possibilitando-se a continuidade dos serviços após 2023, em caráter secundário – tal como cogitado na Resolução n.o 721/2020 –, qualquer projeto adicional que se preste a promover uma desnecessária digitalização dos canais de TV e RTV parece incompatível com a legislação em vigor, porquanto desnecessário.”


Internet Móvel 3G 4G
Receita tem novo app que permite MEI pedir restituições pelo celular

Pelo APP MEI, que está disponível nas lojas Apple (App Store) e Android (Play Store), também será possível consultar o histórico de restituições e a situação atual de cada pedido realizado pelo contribuinte.

Algar substitui Claro no 0800 do Ministério da Economia

Contrato de R$ 28,7 mil tem validade inicial de um ano, até o final de 2021. 

Minicom cede Artur Coimbra para ser corregedor da ANPD

O secretário de radiodifusão, Max Martinhão, acumula interinamente a Secretaria de Telecomunicações. Segundo a pasta, ainda não há novo nome para substituir Artur Coimbra.

Abinee: Diferença de custo entre migração e mitigação no 5G é menor do que apontam teles

Estudo indica valores semelhantes aos projetados pela Anatel, de R$ 1,1 bilhão para o uso de filtros e R$ 1,8 bilhão para mudança da recepção de antenas para a banda Ku.

Anatel apreende 15 mil carregadores de celulares na 25 de Março, em São Paulo

Equipamentos não homologados foram avaliados em R$ 180 mil e foram recolhidos em um único distribuidor. Outros 11 mil carregadores foram apreendidos em três operações durante o mês de novembro.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G