Oi tira Highline e dá exclusividade à Claro, TIM e Vivo pela Oi Móvel

Ana Paula Lobo* ... 07/08/2020 ... Convergência Digital

A disputa virou. Se a Highline do Brasil teve a exclusividade até o dia 03 de agosto, agora, Claro, TIM e Vivo ficaram com a opção, conforme informam fatos relevantes divulgados por Vivo e TIM nesta sexta-feira, 07/08, na CVM. O fato relevante informa que a exclusividade foi dada por conta da proposta de R$ 16,5 bilhões, superior a dada pela Highline de R$ 15 bilhões.

O acerto com a Oi tem como objetivo garantir segurança e celeridade às trativas em curso entre as ofertantes e o Grupo Oi e também permitir que o consórcio das teles assuma a condição de 'stalking horse', ou 'primeiro proponente', na aquisição da Oi Móvel, que ainda vai ter de ser aprovada em Assembleia de Credores da Oi.

De acordo com o portal Teletime, a assembleia geral de credores (AGC) da recuperação judicial Oi será realizada no início de setembro, de forma presencial, em local já reservado. A decisão foi tomada pelo juiz da 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Fernando Viana, que considerou os impactos das medidas sanitárias contra a covid-19, mas entendeu que o tamanho da operação poderia trazer riscos de segurança e mesmo de operacionalização técnica.

O Convergência Digital publica a íntegra do fato relevante da Telefônica/Vivo:

A Telefônica Brasil S.A. ("Companhia"), na forma e para os fins da Instrução CVM nº 358/2002 ("ICVM 358"), conforme alterada, em continuidade aos Fatos Relevantes divulgados em 10 de março de 2020, 18 de julho de 2020 e 27 de julho de 2020, informa aos seus acionistas e ao mercado em geral que, em virtude da oferta vinculante revisada apresentada ao Grupo Oi em 27 de julho de 2020 ("Oferta Revisada"), em conjunto com a TIM S.A. ("TIM") e Claro S.A. ("Claro" e, conjuntamente com a Companhia e com a TIM, as "Ofertantes"), o Grupo Oi concedeu às Ofertantes, por meio da celebração de Acordo de Exclusividade ("Acordo"), exclusividade para negociar os documentos e anexos relativos à Oferta Revisada.

O Acordo visa (i) garantir segurança e celeridade às tratativas em curso entre as Ofertantes e o Grupo Oi e (ii) permitir que, uma vez satisfatoriamente finalizadas as negociações entre as partes, as Ofertantes possam, sujeito às autorizações necessárias por parte do Grupo Oi, ser pré-qualificadas na condição de "stalking horse" ("primeiro proponente"), para o processo competitivo de alienação dos ativos de telefonia móvel do Grupo Oi, garantindo assim o direito de cobrir ("right to top") outras propostas recebidas no referido processo.

O Acordo tem vigência inicial até o dia 11 de agosto de 2020 e será renovado automaticamente por períodos iguais e sucessivos, salvo se houver manifestação em contrário por qualquer das partes.

A Companhia manterá seus acionistas e o mercado geral devidamente informados do andamento do processo em relação à nova oferta apresentada, nos termos da ICVM 358 e da legislação aplicável.

São Paulo, 7 de agosto de 2020.
David Melcon Sanchez-Friera
CFO e Diretor de Relações com Investidores

*Com CVM e portal Teletime


Internet Móvel 3G 4G
TIM ativa piloto de banda larga fixa com 5G DSS

Primeiros 300 clientes iniciaram testes da tecnologia em Bento Gonçalves (RS), Três Lagoas (MS) e Itajubá (MG). Operadora está entregando os equipamentos em comodato para os testes.

Anatel flexibiliza regras para as MVNOs

Em especial, agência passa a permitir que operadoras virtuais possam fazer contratos com mais de uma prestadora na mesma área de registro. 

Carlos Baigorri toma posse no Conselho Diretor da Anatel

Em cerimônia no Ministério das Comunicações, o novo conselheiro afirmou que "a Anatel tem diversos desafios para o ano que vem, como o leilão de 5G, e temos que garantir que a conectividade chegar a todos rincões do País, com qualidade e a preços acessíveis à população para que todos os brasileiros possam exercer a sua cidadania”.

Feninfra diz que sem desoneração da folha país perde R$ 2 bilhões e 500 mil empregos em Telecom

Segundo a presidente da entidade, Vivien Suruagy, caso o Congresso não derrube o veto de Bolsonaro à medida, haverá um "apagão de tecnologia" no país.

Para OCDE, tributação é gargalo de telecom no Brasil

“Um ponto fraco significativo é o alto nível dos tributos e das taxas aplicados ao setor de comunicações”, aponta a entidade em relatório sobre o setor. Infraestrutura passiva e renovação sucessiva de espectro merecem atenção. 

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G