Clicky

Depois das antenas, governo acena com solução para uso dos postes

Luís Osvaldo Grossmann ... 29/09/2020 ... Convergência Digital

Com o Decreto 10.480/20, que regulamentou a Lei das Antenas (13.116/15) e a previsão na proposta de Orçamento de 2021 da renúncia de receitas relativas a taxas para dispositivos da internet das coisas e antenas de conexão via satélite, o Ministério da Economia sinalizou que busca destravar outro nó na infraestrutura de telecomunicações: o compartilhamento dos postes do setor elétrico. 

“Queremos entrar nessa discussão ainda mais difícil, que é a regulação dos postes. Está claro que é fundamental que se promova incentivos ao setor elétrico para que incorpore nos postes o uso da fibra ótica e antenas”, afirma o subsecretário de regulação de mercado do Ministério da Economia, Gabriel Fiuza. 

A promessa foi feita durante debate realizado nesta terça, 29/9, durante o Painel Telebrasil 2020. Segundo Fiuza, as discussões sobre o tema já começaram e devem ser aproveitadas na revisão do marco legal do setor de energia elétrica. Um dos pontos seria rever as regras relativas à modicidade tarifária, que segundo o subsecretário desincentivam o uso eficiente dessa infraestrutura passiva. 

“A modicidade tarifária não deve ser vista como conceito de curtíssimo prazo, estanque, mas dinâmico. Ao promover a modernização das redes, promove ganhos de eficiência que, pelo menos parcialmente, podem ser compartilhados com o consumidor. O quanto pode ser tratado na regulação.”

O aceno foi bem recebido. “Os postes constituem um ativo extremamente importante para levar a rede final ao usuário, e também para montagem das redes metropolitanas, para as cidades inteligentes e para fibrar os novos sites. Tão importante que deve ser tratado como politica pública, acima de um setor ou outro”, emendou o diretor de infraestrutura do Sinditelebrasil, agora rebatizado Conexis, Ricardo Dieckmann. 


Internet Móvel 3G 4G
TIM entra na disputa pela gestão da iluminação pública com rede de IoT

Operadora fechou parceria com a M2M Telemetria para participar dos principais projetos voltados à nova gestão dessa infraestrutura pública. Tele conta com a cobertura da rede dedicada de NB-IoT, no 4G, presente em 3460 cidades do país.

Minicom cede Artur Coimbra para ser corregedor da ANPD

O secretário de radiodifusão, Max Martinhão, acumula interinamente a Secretaria de Telecomunicações. Segundo a pasta, ainda não há novo nome para substituir Artur Coimbra.

Abinee: Diferença de custo entre migração e mitigação no 5G é menor do que apontam teles

Estudo indica valores semelhantes aos projetados pela Anatel, de R$ 1,1 bilhão para o uso de filtros e R$ 1,8 bilhão para mudança da recepção de antenas para a banda Ku.

Anatel apreende 15 mil carregadores de celulares na 25 de Março, em São Paulo

Equipamentos não homologados foram avaliados em R$ 180 mil e foram recolhidos em um único distribuidor. Outros 11 mil carregadores foram apreendidos em três operações durante o mês de novembro.

TIM: dizer que 5G DSS não é o 5G é obrigatório para não queimar a tecnologia

Operadora informa que vai ter o 5G DSS em 12 capitais para testes em bairros, mas sustenta que a transparência é crucial. "O 5G DSS tem latência do 4G", afirma o CTIO, Leonardo Capdeville. Nas capitais, o 5G DSS será exclusivo para mobilidade. O acesso banda larga fixa - FWA - continuará em piloto.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G