Convergência Digital - Home

NVIDIA: Data center é a nova unidade de computação

Convergência Digital
Convergência Digital - 05/10/2020

A NVIDIA Enterprise anuncia um novo tipo de processador: DPUs, ou unidades de processamento de dados, com suporte do DOCA, uma nova arquitetura de infra-estrutura em um chip de data center que permite um desempenho inovador de rede, armazenamento e segurança.

O fundador e CEO da NVIDIA, Jensen Huang, revelou o “roadmap” de três anos de DPUs da empresa no keynote de abertura da GPU Technology Conference, nesta segunda-feira, 05/10. Ele conta com a nova família de DPUs NVIDIA® BlueFieldⓇ-2 e o kit de desenvolvimento de software NVIDIA DOCA™ para o desenvolvimento de softwares em serviços de infraestrutura de data centers acelerados por DPU.

“O data center é a nova unidade de computação”, afirma Huang. “As DPUs são elementos fundamentais dos data centers acelerados, seguros e modernos, nos quais as CPUs, as GPUs e a DPUs são capazes de se unir e formar uma única unidade de computação que é totalmente programável, habilitada para Inteligência Artificial e capaz de oferecer níveis de segurança e capacidade de computação que antes eram impossíveis”.

Otimizadas para reduzir a carga das CPUs em tarefas importantes de rede, armazenamento e segurança, as DPUs BlueField-2 garantem que as organizações transformem sua infraestrutura de TI em data centers de última geração acelerados, totalmente programáveis e repletos de recursos de segurança “Zero-Trust” para evitar violações de dados e ataques cibernéticos.

Um único DPU BlueField-2 pode fornecer os mesmos serviços de data center que podem consumir até 125 núcleos de CPU. Isso libera valiosos núcleos de CPU para executar uma ampla variedade de outras aplicações empresariais.

“O DOCA vai auxiliar na adoção do uso de inteligência artificial de forma corporativa em empresas de todos os tamanhos”, explica Marcio Aguiar, diretor da NVIDIA Enterprise para América Latina. “Estamos ansiosos para conferir o potencial dessa tecnologia na nossa região". Os principais fabricantes de servidores do mundo, como ASUS, Atos, Dell Technologies, Fujitsu, GIGABYTE, H3C, Inspur, Lenovo, Quanta/QCT, e Supermicro, planejam integrar as DPUs NVIDIA a suas soluções de servidores empresariais.

DPUs BlueField-2 estão em fase de testes agora e devem ser apresentadas em novos sistemas dos principais fabricantes de servidores em 2021. DPUs BlueField-2X estão em desenvolvimento e também devem estar disponíveis em 2021.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Desafio nacional: identificar os dados efetivamente valiosos ao negócio

Pesquisa da IDC mostra que quase a metade companhias pesquisadas no Brasil admitiu ter dificuldade para encontrar talentos e recursos responsáveis pelas análises das informações.

Destaques
Destaques

Quase metade das empresas vai investir em edge computing na América Latina

Pesquisa da IDC Brasil, realizada para a Oi Soluções, revela ainda que 66% das empresas deverão ativar digitalmente seus modelos operacionais e terão o trabalho remoto incluído de forma permanente em suas políticas de recursos humanos.

Eletrobras contrata Analytics para acelerar jornada digital

Estatal, responsável por 1/3 da capacidade elétrica do Brasil, quer usar os dados para manter as melhores práticas de governança e investir em IoT, chatbots e robôs.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site