Clicky

GOVERNO

Estratégia 2020-2031 busca direcionar Brasil para economia baseada em dados

Luís Osvaldo Grossmann ... 27/10/2020 ... Convergência Digital

O governo publicou nesta terça, 27/10, o Decreto 10.531/20, pelo qual estabelece o que chama de Estratégia Federal de Desenvolvimento para o Brasil relativa ao período 2020 a 2031. Ela foi organizada em cinco eixos: econômico, institucional, infraestrutura, ambiental e social. 

Além de projetar três cenários macroeconômicos – referência, transformador e desequilíbrio – a Estratégia traz orientações a segmentos específicos. Parte deles relacionada diretamente ao desenvolvimento da economia digital e das telecomunicações, além de instrumentos de outros setores, caso do financeiro, mas que também tocam na inovação e no uso de novas tecnologias.

Exemplo disso é que no trecho que menciona o aumento da competitividade brasileira o Decreto lista “atualizar o arcabouço normativo e fortalecer os segmentos inovadores como possíveis eixos de desenvolvimento, de forma a induzir uma economia baseada em informação, preservando os direitos individuais”. 

Ou, ainda, ao tratar do aprimoramento de mecanismos financeiros, o documento orienta para “ampliar os produtos financeiros de apoio às startups, com maior prioridade de recursos para capital semente, incluídos os não reembolsáveis, e com incremento para fundos de venture capital em inovação e infraestrutura”, e “fortalecer os instrumentos financeiros de apoio às micro, pequenas e médias empresas para inovação e sua inserção na economia digital”. 

Na linha específica para economia digital, as orientações são:

- ampliar o acesso da população à internet e às tecnologias digitais, com qualidade de serviço e economicidade;

- incentivar o desenvolvimento da economia digital, aumentando o apoio à difusão de tecnologias emergentes (interconectividade, automação, energias, nanotecnologia, novos materiais e biotecnologias e edição gênica, por exemplo) e as suas aplicações no País; e

- propiciar as condições necessárias para que os setores produtivo e público utilizem dados abertos para a geração de valor econômico, a melhoria dos serviços e a criação de empregos, por meio de análise de dados, big data/analytics, inteligência artificial e outras aplicações tecnológicas.

Seguindo a linha, há medidas relacionadas ao aumento da produtividade que tocam nos esforços de inovação e desenvolvimento de softwares. São elas:

- aprimorar e ampliar os mecanismos que estimulem a inovação tecnológica nas empresas, de modo a aumentar a aplicação de recursos privados em ciência, tecnologia e inovação - CT&I e incentivar a agregação de valor;

- dinamizar o sistema de propriedade industrial do País para fomentar ativos tangíveis e intangíveis, tais como patentes, marcas cultivares, desenhos industriais e softwares, entre outros, com vistas à proteção da propriedade intelectual e à defesa da concorrência;

- construir um sistema de CT&I mais aberto e internacionalizado, incentivando a formação e a operação de ecossistemas de inovação e sistemas produtivos e inovativos locais e regionais de produção a partir da identificação das potencialidades regionais

De 7 a 11 de dezembro, acontece o 5x5 TecSummit, evento realizado pelo Convergência Digital, Mobile Time, Tele.Síntese, Teletime e TI Inside. A vertical governo será tratada no dia 07 de dezembro e as ações do Governo Digital no Brasil serão repassadas pelo Secretário de Governo Digital, Luis Felipe Monteiro, já confirmado. Para mais informações: www.5x5tecsummit.com.br


LGPD: cidadão vai controlar dados pessoais pelo portal Gov.br

Promessa é secretário de governo digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. Plataforma permitirá ao cidadão revogar autorizações, ou reclamar à CGU.

Economia será o 'tinder' do financiamento para evitar desperdício no governo digital

“Não faz sentido um estado investir em uma identidade digital se já temos uma no governo, ou dois municípios gastarem com plataforma de gestão de tributo local”, explica o secretário Luis Felipe Monteiro.

Estados e municípios vão ficar com US$ 1 bilhão do BID para digitalização

Ao Convergência Digital, o secretário de governo digital, Luis Felipe Monteiro, assegura: “Impacto na economia vai chegar a R$ 100 bilhões."

Deputados aprovam urgência para o PL de privatização dos Correios

União teria a obrigação de  prover o serviço postal universal, que inclui encomendas simples, cartas e telegramas. Todos os outros produtos poderão, se o PL 591/21 for de fato aprovado no Congresso Nacional, serem repassados à iniciativa privada.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G