Home - Convergência Digital

Academia precisar estar aberta às novas demandas profissionais em TICs

Luís Osvaldo Grossmann - 18/12/2020

Com a promessa de um programa global de treinamento em conteúdos ligados à tecnologia, a Amazon Web Services destaca a necessidade de o sistema educacional estar aberto a mudanças a partir das demandas reais do mundo o trabalho. Como apontou a vice-presidente global de negócios do setor público da AWS, Teresa Carlson, a atualização dos currículos é vital para uma realidade em que a tecnologia avança muito rapidamente. 

“É importante ter foco e adotar mudanças. Falamos com reitores de universidades, pessoas com interesse muito grande em pensar nessas novas habilidades. Pensar nas habilidade de trabalho significa conversar com quem vai contratar essas pessoas e perguntar quais são as necessidades, quais as habilidades que eles precisam para que seja possível ensinar o que vai ser usado. Se não repensamos as habilidades, se não atualizamos os currículos, fica mais difícil, porque a tecnologia evolui como nunca”, afirmou a executiva durante o re:Invent, o evento global promovido pela maior empresa de nuvem. 

Como destacou, isso precisa valer não apenas para estudantes, mas também para profissionais que buscam uma recolocação. “Isso é um assunto muito caro para nós. Nos Estados Unidos, em setembro, 800 mil mulheres deixaram de trabalhar. E essa é uma tendência global. Precisamos estancar esse sangramento e garantir treinamento para que essas pessoas possam seguir uma carreira de tecnologia. E não penas habilidade técnicas, mas também de comunicação, que também são importantes para qualquer trabalho. Temos um programa, chamado re/Start, de 12 semanas, intensivo, especialmente para quem perdeu emprego e para comunidades em áreas socioeconômicas que vivem situações difíceis.”

“Há 55 milhões de alunos tendo aulas online durante a Covid-19. É uma loucura se pensarmos em tanta gente online em tão pouco tempo para que pudessem continuar os estudos. Na Amazon falamos da importância das habilidades digitais e do aprendizado contínuo. E como líderes em tecnologia de nuvem sabemos que temos responsabilidade em garantir que alunos tenham as habilidades corretas. E a Covid-19 exacerbou tudo isso. Já anunciamos que treinaremos 29 milhões de pessoas até 2025, gratuitamente, em 200 países.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

22/12/2020
AWS quer 'invadir' o datacenter e vai para a disputa pela preferência do governo

22/12/2020
AWS investe em data lake para extrair informações não-estruturadas na saúde

22/12/2020
Accenture elege AWS para desenvolver plataforma para carros elétricos

18/12/2020
"A nuvem é o novo normal", diz Jeff Kratz, da AWS

18/12/2020
Academia precisar estar aberta às novas demandas profissionais em TICs

17/12/2020
Desenvolvimento de software vai mudar drasticamente nos próximos dois anos

16/12/2020
AWS: Demanda por trabalho remoto com uso da nuvem quintuplicou na pandemia

15/12/2020
AWS se prepara para capacitar 29 milhões em computação na nuvem

09/12/2020
Grupo BMW e todas as suas marcas vão usar nuvem da AWS

07/12/2020
Na liderança, curiosidade insana e coragem impactam mais que a competência

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Na liderança, curiosidade insana e coragem impactam mais que a competência

Vice-presidente para setor público na AWS, Teresa Carlson, e Indra Nooyi, membro do board da Amazon e ex-CEO e chairman da PepsiCo, admitiram que a Covid-19 tem provocado crises existenciais em muitas pessoas e que, há, sim, um forte e um injusto desequilíbrio para as mulheres.

Média salarial de profissional de TI no Brasil ficou em R$ 4.849,00

Pesquisa nacional, realizada pela Assespro-Paraná e pela UFPR, mostra a desigualdade econômica do país. No Nordeste, em Sergipe, a média salarial é de apenas R$ 1.943.00. Em São Paulo, essa média sobe para R$ 6.061,00. Outro ponto preocupante: a diferença salarial entre homens e mulheres segue acima de dois dígitos.

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site