Home - Convergência Digital

Menos de 30% das empresas admitem ter tecnologia para dar suporte ao trabalho remoto

Convergência Digital* - 11/01/2021

A pandemia de coronavírus acelerou de forma significativa mudanças na gestão de pessoas entre empresas brasileiras. Estudo realizado pela Oxford Economics e pela Society of Human Resources Management (SHRM) a pedido da SAP SuccessFactors revela que três em cada quatro companhias (76%) consideram a flexibilidade no ambiente de trabalho como prioridade máxima para atrair e reter talentos. Os líderes brasileiros também têm mais probabilidade do que qualquer outro país pesquisado de dizer que planos de saúde e outros benefícios (83%) e remuneração (63%) crescerão em importância. A pesquisa foi realizada em dez países entre os meses de abril e setembro e no Brasil foram consultadas mais de 300 lideranças de Recursos Humanos.

Batizada de "O futuro do trabalho chega cedo: como os líderes de RH estão aproveitando as lições das interrupções”, a pesquisa identificou também que os empregadores esperam que as políticas de trabalho flexíveis se tornem muito mais importantes no futuro do que eram antes da Covid-19. Outra constatação é a necessidade dos executivos brasileiros de garantir que seus funcionários tenham a tecnologia certa para trabalhar remotamente com eficiência. Sob esse aspecto, o levantamento mostra que compreender as diferenças regionais será fundamental para que os líderes de RH no Brasil e em todo o mundo façam planos para suas forças de trabalho.

Mas com a mudança vêm os desafios. Mais da metade (51%) espera que a Covid-19 aumente a flexibilidade para trabalho remoto no próximo ano; sem surpresa, espera-se que manter a produtividade com novas formas de trabalho (68%) e requalificar a força de trabalho para trabalhar com novas tecnologias (52%) se tornem os principais desafios para as empresas brasileiras.

Mais de 37% dos entrevistados disseram que estabelecer uma cultura que apoie funcionários remotos também será um desafio quando a pandemia diminuir, e a maioria reconhece que seus funcionários tiveram experiências muito diferentes dependendo se são assalariados, horistas, de escritório ou de chão de fábrica. Cerca de 33% dos entrevistados planejam investir em ferramentas de escuta ou pesquisas com funcionários, o que pode ajudar as organizações a manter o pulso sobre o sentimento dos funcionários conforme as mudanças no local de trabalho continuam.

O relatório descobriu que 81% dos entrevistados no Brasil disseram que sua empresa tem a tecnologia de que precisa para navegar no ambiente de trabalho em constante mudança, porém mais da metade dos executivos esperam novos investimentos em ferramentas de colaboração remota. Ainda assim, apenas 28% dos entrevistados disseram que seus funcionários podem trabalhar remotamente e ter a tecnologia e o ambiente necessários para fazer isso de maneira eficaz, sendo os trabalhadores de atendimento ao cliente (56%), profissionais de back office (55%) e os trabalhadores de serviço/campo especialmente em desvantagem nesta área (51%). Mesmo diante destes dados, pouco mais da metade (52%) dos entrevistados esperam manter a redução na ocupação dos escritórios.

Segundo Marcus Almeida, vice-presidente de SuccessFactors da SAP Brasil, a crise da Covid-19 trouxe a área de gestão de pessoas para o centro dos processos de transformação digital. “Modernizar o RH é uma peça crítica para a jornada de digitalização e globalmente as empresas tiverem que priorizar investimentos nessa área. Os líderes de RH demonstraram muita resiliência e criatividade para garantir que sua força de trabalho esteja segura e produtiva, mesmo diante das mudanças bruscas e sem precedentes enfrentadas por empresas de todos os setores. Manter o foco no bem estar, aprendizagem, experiência do colaborador, requalificação e uma cultura diversa e inclusiva que abraça cada indivíduo é uma missão crítica para impactar positivamente nos resultados de negócios”, completa. Além do Brasil, o estudo ouviu líderes da Austrália, Canadá, China, Índia, México, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. O estudo completo está disponível em “The Future of Work Arrives Early: How HR Leaders are Leveraging the Lessons of Disruption” report .

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

06/05/2021
Dell: Na pandemia, tecnologia evidenciou as desigualdades e retomada passa pelo 5G

05/05/2021
MP do Governo muda as regras para teletrabalho

30/04/2021
Gastos com computação em nuvem bateram recorde no mundo

28/04/2021
Na Índia, empresas de serviços de TI montam salas de guerra contra explosão da Covid-19

28/04/2021
Governo reedita redução de jornadas de trabalho e suspensão de contratos por conta da Covid-19

19/04/2021
Covid-19 é responsável por 24 mil ações nas varas do Direito do Trabalho

13/04/2021
Multicloud está longe de ser simples e exige responsabilidade com a divisão dos dados

08/04/2021
TI da América Latina será última a se recuperar da pandemia de Covid-19

07/04/2021
Governo de São Paulo se alia ao WhatsApp na vacinação contra Covid-19

31/03/2021
XaaS: a nova forma de comprar nuvem e TI nos órgãos públicos

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Trabalho híbrido, cloud, segurança, 5G: como fica o mercado de TI no Brasil?

Por Mauricio Suga*

A pandemia da Covid-19 e as mudanças decorrentes dela foram grandes aceleradores da transformação digital, tanto no Brasil quanto a nível mundial. Mudamos a maneira como trabalhamos e entendemos o local de trabalho, como gerimos e nos relacionamos com equipes e, também, revisitamos as prioridades de investimentos organizacionais, sejam elas de curto ou longo prazo.

Destaques
Destaques

Governo reedita redução de jornadas de trabalho e suspensão de contratos por conta da Covid-19

Programa passa a ter validade a partir desta quarta-feira, 28 de abril e terá validade de 120 dias.Trabalhador que for inserido no programa terá estabilidade de até seis meses.

TIC incorporou 59 mil novos profissionais e gerou 1,62 milhão de empregos em 2020

Apesar da adversidade econômica e social com a Covid-19, TIC manteve a empregabilidade em alta. "Respondemos à desoneração da folha de pagamentos cumprindo o que nos cabia. Gerar empregos", afirmou o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.

Receita Federal: Saiba como declarar jornada reduzida no Imposto de Renda

A maior parte dos funcionários do setor de TICs foi incluído no Benefício Emergencial de Preservação de Emprego e da Renda (BEm) em 2020 como medida para aliviar o impacto econômico da Covid-19. Fisco orienta como acertar as contas.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site