Clicky

GOVERNO

No governo federal, 55% dos órgãos indicaram encarregado de dados

Luís Osvaldo Grossmann ... 14/01/2021 ... Convergência Digital

No Executivo Federal, 106 órgãos públicos, ou 55% do total, fizeram até aqui as nomeações de seus encarregados de dados, os pontos de contato entre os titulares dos dados, quem trata ou guarda as informações e ainda com a Autoridade Nacional de Proteção de Dados. 

É pouco segundo o cronograma da Secretaria de Governo Digital, que em 20 de novembro deu 30 dias para que todos os órgãos do SISP procedessem com as nomeações. Diz a SGD que “reforçamos recentemente a prioridade aos órgãos de indicação dos encarregados”. 

Depois de uma primeira norma que exigia um curso específico sobre proteção de dados da Escola de Governo, prevaleceu uma determinação mais genérica associada a uma vedação expressa, de que o encarregado “não deverá se encontrar lotado nas unidades de Tecnologia da Informação ou ser gestor responsável de sistemas de informação do órgão ou da entidade”.

No mais, a IN 117/20 diz que o encarregado de dados “deverá possuir conhecimentos multidisciplinares essenciais à sua atribuição, preferencialmente, os relativos aos temas de: privacidade e proteção de dados pessoais, análise jurídica, gestão de riscos, governança de dados e acesso à informação no setor público”. 


Liminar suspende processo de liquidação do Ceitec pelo governo Bolsonaro

Justiça Federal no Rio Grande do Sul acatou pleito em ação civil pública e determinou a suspensão da assembleia que nomearia liquidante da estatal do chip, localizada em Porto Alegre.

Bolsonaro recoloca Jarbas Valente no comando da Telebras

Ex-conselheiro e vice-presidente da Anatel deixou a estatal para ser substituído por Waldemar Gonçalves Ortunho Junior, em abril de 2019, mas, agora, retoma à companhia com a nomeação do coronel para a direção da Agência Nacional de Proteção de Dados.

BNDES vai pagar R$ 8 milhões para preparar a venda do Serpro e da Dataprev

Consórcio vencedor reúne Accenture, a multinacional de RP Burson-Marsteller e o escritório Machado, Meyer, Sendacz, Opice e Falcão Advogados.

Governo alega prejuízo de R$ 10 bi e vai ao STF contra desoneração da folha

Benefício, que acabaria este ano, foi prorrogado para dezembro de 2021, por decisão do Congresso Nacional, que derrubou o veto do governo. A desoneração da folha é considerada essencial para as empresas de TI e Telecom. Governo diz que medida é inconstitucional.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G