Clicky

Convergência Digital - Home

"Chegamos para brigar com AWS, Google e Azure na nuvem pública", diz José Nilo, da Huawei

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 28/01/2021

A Huawei será um player concorrente do mercado de nuvem pública com AWS, Google e Microsoft Azure, assegurou o vice-presidente da unidade de cloud no Brasil, José Nilo, em entrevista exclusiva ao Convergência Digital. A companhia anunciou o segundo data center no país - a infraestrutura é própria e gerida pela Huawei, mas o local e os investimentos feitos não são revelados pela empresa. "Nuvem pública exige uma escala global. Temos data centers no Chile, na Argentina, no México e no Peru. Ter data center local é essencial", afirma Nilo.

Outra área onde a Huawei planeja crescer e aparecer é o da oferta de kurbernetes e contêineres, onde a Red Hat, da IBM, tem grande influência no Brasil. "Vamos investir muito porque temos cases de sucesso na China e queremos trazer esses exemplos para o Brasil", pontuou Nilo. A parte de Infraestrutura por Serviço é a meta inicial, mas a Huawei vai apostar em serviços, especialmente com Inteligência Artificial.

Para o executivo - que já foi o diretor geral da Amazon no Brasil - há um mercado enorme na nuvem pública para ser explorado no Brasil, principalmente com o ganho de volume das aplicações de IA, Internet das Coisas e deep learning. "Os clientes querem inovação. Querem ser mais ágeis. Mas também querem meios mais efetivos de pagamento. E eles vão ter tudo isso com a Huawei", assegura.

Questionado se a Huawei chega atrasado na disputa com os outros players já instalados no Brasil, José Nilo, garante que esse não é um gargalo. "Os clientes conhecem a Huawei e a capacidade de inovação. Nós, na China, já somos o segundo maior provedor de nuvem pública (o primeiro é o Alibaba), com muitas aplicações voltadas à missão crítica", ressalta.

Um orgulho da Huawei é unir nuvem pública e Inteligência Artificial. José Nilo conta da parceria firmada com o Hospital das Clínicas, em São Paulo, no começo da epidemia de Covid-19. Foi implantada uma solução de IA/Deep Learning de um parceiro da Huawei na China, capaz de fazer análise de radiografia de tórax e saber se o paciente tem covid e, principalmente, o grau de comprometimento do pulmão desse paciente. "O resultado foi tão eficiente, que tivemos mais de 18 mil exames analisados e o Hospital das Clínicas criou um modelo que foi levado para mais de 50 hospitais", salienta.

Indagado sobre o seu desafio à frente da unidade de cloud e IA, considerada estratégica para a Huawei, José Nilo diz que quer fazer os empresários brasileiros entenderem que a inovação é global e o que está sendo feito em inovação no mundo. O executivo descartou uma possível rivalidade com as operadoras de telecomunicações. "Elas estão buscando parceria para fazer multicloud e endereçar serviços ao mercado B2B e estamos alinhados", disse. Ampliar a capilaridade de atuação passa por parcerias com os provedores de serviços de Internet, considerados uma categoria especial de parceiros. "Eles têm acesso às pequenas e médias empresas e nos permitem chegar ao interior do Brasil", completa o executivo.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Justiça do DF diz que dados em nuvem não têm proteção contra quebra de sigilo

Para o relator do caso, "dados armazenados em nuvem não evidenciam uma comunicação de dados" e, por isso, não estariam protegidos pela legislação. 

São Paulo concentra mais da metade das startups de Inteligência Artificial

Estudo da KPMG mostra que existem, hoje, 702 startups em atuação no segmento no País. Levantamento ainda que, desde 2012 setor atraiu US$ 839 milhões em 274 rodadas de investimento; em 2020 foram captados US$ 365 milhões.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

IA, nuvem e IoT exigem data centers mais eficientes

Por Ed Solis*

Adoção crescente de tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas e PoE estão na lista para melhorar o desempenho das redes e a eficiência do gerenciamento.

A Covid-19 e o governo digital

Por Marcos Boaglio*

A digitalização impõe adotar uma cultura de inovação na qual se fomente a experimentação, derrubar barreiras a partir de novos veículos de aquisição e implementar uma classificação de dados moderna, assim como desenvolver capacidades para empoderar os trabalhadores para finalmente aproveitarem as novas tecnologias.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site