Clicky

GOVERNO » Legislação

Com atraso, novo sistema de incentivo fiscal passa a incluir semicondutores

Luís Osvaldo Grossmann ... 02/02/2021 ... Convergência Digital

Pelo menos nove meses atrasado, saiu o Decreto (10.615) que regulamenta os incentivos fiscais para a indústria de semicondutores, fruto da nova sistemática criada a partir das exigências da Organização Mundial do Comércio. Ou seja, finalmente o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores, ou Padis, passa a usufruir do sistema de créditos fiscais que substituiu a isenção de IPI. 

O novo Decreto unifica regulamentações antes dispersas em outros três instrumentos (os Decretos 6.233, 7.600 e 8.247) e em essência traz para o Padis a mesma dinâmica adotada para a Lei de Informática. Ou seja, significa que há redução a zero de tributos como PIS/Cofis, Cide e mesmo IPI na compra de insumos e na venda dos produtos e paralelamente um regime de crédito tributário com base nos investimentos em pesquisa e desenvolvimento. 

Com a demora na regulamentação para o Padis, as duas dezenas de empresas habilitadas ao programa já tiveram que pagar os tributos sobre as operações ao longo de 2020. Quer dizer que elas tiveram que registrar, por exemplo, o imposto sobre produtos industrializados na hora de vender os produtos incentivados. Mas será possível alguma compensação visto que será possível habilitar no regime de créditos tributários os investimentos em P&D do ano passado. 

Para além do ‘antes tarde do que nunca’, o que ajudou o segmento em 2020 foi o aumento da demanda, mesmo em meio à pandemia de Covid-19 – até por conta da digitalização forçada mesmo de setores econômicos que não tinham esse movimento no horizonte. Ou seja, com o crescimento das vendas de computadores e smartphones, também cresceu o fornecimento de componentes como memórias. Daí o setor de semicondutores ter crescido cerca de 5% em 2020, ano em que o setor industrial como um todo encolheu 4,5%. 


Deputados aprovam urgência para o PL de privatização dos Correios

União teria a obrigação de  prover o serviço postal universal, que inclui encomendas simples, cartas e telegramas. Todos os outros produtos poderão, se o PL 591/21 for de fato aprovado no Congresso Nacional, serem repassados à iniciativa privada.

Ministério da Justiça exige cadastro de redes sociais no Consumidor.gov.br

Nova portaria da Secretaria Nacional do Consumidor amplia o rol de empresas que devem fazer parte do portal de mediação online de atendimento aos consumidores. 

Simples de março, abril e maio é prorrogado para segundo semestre

Recolhimento poderá ser feito a partir de julho, com opção de pagamento em duas parcelas. 

Transformação digital: Atenção do governo ao risco de digitalizar a burocracia

“A meta é digitalizar 100% dos serviços, mas o desafio é não fazer mera transposição do que existe para o digital”, afirma o secretário adjunto de governo digital, Ciro Avelino. 

Sobram candidatos e faltam cadeiras para TICs no Conselho Nacional de Proteção de Dados

Além de três das grandes entidades empresariais de tecnologia da informação, ABES, Assespro e Brasscom, os dois assentos setoriais são disputados pela Abert, Sebrae e bureaus de crédito. Pelo menos. 



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G