Clicky

Minicom: “Queremos o 5G standalone, que é o 5G de verdade, não um 4G plus”

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/02/2021 ... Convergência Digital

O Ministério das Comunicações parece ter colocado uma pá-de-cal nas pretensões de quem defende uma versão incompleta do 5G para o Brasil. Em relato sobre a viagem à Europa e Ásia para encontrar fabricantes, o ministro Fabio Faria destacou que, para a pasta, a exigência deve ser o 5G standalone, conforme o release 16 do 3GPP. Ou, como disse, o 5G de verdade, não um 4G plus. 

“A nossa ideia é realmente implementar o 5G standalone, que é o 5G de verdade, para que a gente possa acolher toda a tecnologia que pode nos dar para desenvolver o nosso país. O 5G non-standalone é como se fosse um 4G plus. Essa nova ferramenta que vai trazer novas empresas, novas tecnologias, novas profissões e vai ajudar muito as empresas a fornecer a internet das coisas”,  destacou o ministro em nota divulgada nesta sexta-feira, 12/02, pela pasta.

A proposta de edital apresentada pelo relator no Conselho Diretor da Anatel, Carlos Baigorri, prevê que os compromissos de cobertura associados à venda de frequências devem se dar com base no release 16 do 3GPP, o grupo global de empresas para a padronização das tecnologias móveis. Essa posição já tem apoio de outros dois conselheiros, Moisés Moreira e Vicente Aquino, mas uma decisão foi adiada por pedido de vista do presidente da agência, Leonardo Morais, que indicou um voto divergente, sem tal obrigação. 

Desde que o voto do relator foi apresentado, em 1º de fevereiro, o próprio mercado demonstrou divergências sobre esse ponto, com Vivo e Claro trabalhando para derrubar a exigência do 5G pleno, enquanto TIM, pequenos prestadores e operadoras regionais alinharam-se à proposta de Baigorri. Agora, o governo esclarece que também prefere esse caminho. 


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Minicom prorroga consulta sobre mudanças na Lei da TV paga

Prazo para contribuições, que terminaria em 25/6, foi esticado até 4 de julho. Sugestões vão subsidiar grupo de trabalho que estuda proposta de alteração nas regras da TV por assinatura.

À espera da venda para TIM, Claro e Vivo, Oi Móvel emite R$ 2 bilhões em debêntures

Em fato relevante, a operadora informou que as debêntures serão subscritas e integralizadas por fundo de investimento gerido por subsidiária do Banco BTG Pactual S.A. Operação segue em análise no CADE e na Anatel.

Red Hat: para ser cloud nativa, uma tele precisa mais do que transformação digital, precisa de nova cultura

Mudar a mentalidade é essencial para que uma operadora de telecomunicações transforme seus negócios e suas redes, afirma Livio Tulio Silva, da Red Hat.

Cade aprova venda do controle da empresa de fibra da TIM para IHS

Operadora vai receber R$ 1 bilhão e pretende usar o dinheiro para pagar a fatia com a qual vai ficar a partir da compra da Oi Móvel.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G