Clicky

Convergência Digital - Home

Kenlo se prepara para monetizar dados do CRM no mercado imobiliário

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 18/02/2021

Monetizar os dados do CRM. Esse é um dos objetivos da plataforma de serviços financeiros digitais para o mercado imobiliário, a Kenlo. Em entrevista ao Convergência Digital, os executivos do ecossistema - que recebeu um aporte de R$ 400 milhões e foi apontada pelo programa 'InovAtiva Brasil', do Ministério da Economia, como uma das 14 startups mais inovadoras do País, Denise Ghiu e Felipe Souza, falam de como lidar com dados sensíveis, com a LGPD e com a inovação para reformular um mercado, que ganha uma nova 'cara' com a transformação digital.

"Temos uma base ativa de 3 milhões de imóveis no nosso CRM, o que dá dados de mais ou menos 1 milhão de proprietários. Hoje temos 7200 imobiliárias de todo o país conectadas ao nosso ecossistema. São cerca de 55 mil imobiliárias no País. Temos um potencial enorme de crescimento", conta Fernando Souza,  head de produtos e UX da Kenlo.

Os dados são armazenados em uma nuvem privada contratada junto à AWS e toda a política de proteção de dados e adequação à LGPD foram implementadas. "Lidamos com dados sensíveis e temos de ter cuidado com o quê disponibilizar. Mas temos informações e dados que podem, sim, ser monetizados e um dos nossos maiores projetos nessa área é a capacitação dos corretores", conta Denise Ghiu, diretora da Kenlo.

Hoje a Kenlo possui um time dedicado a trabalhar com dados, a partir da montagem de um data lake para estruturar as informações de forma ágil e precisa. O objetivo, conta Souza, é usar cada vez mais inteligência artificial aplicada à base de dados para ajustar os processos de oferta e demanda.

E ir além de alugar e vender imóveis é uma missão da plataforma e a aposta, neste momento, está em incorporar serviços de crédito e de venda de produtos de seguro, criando uma sintonia fina entre proprietários, inquilinos e corretores.

"O nosso projeto não é isolado. Não queremos concorrer com as imobiliárias. Ao contrário, nossa ideia é ter um marketplace. Se o ecossistema não ganhar, não funciona. O corretor também é muito importante na relação de negócios. Hoje temos 10 imobiliárias com acordo fechados. Temos muito por conquistar", completa Souza.  A Kenlo é uma startup, lançada em setembro de 2020, a partir de um spin off da inGaia. A empresa fornece soluções de digitalização para imobiliárias locais, treinamentos para equipes, informações de mercado, possibilitando que as imobiliárias se transformem em plataformas completas de negócios.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Justiça do DF diz que dados em nuvem não têm proteção contra quebra de sigilo

Para o relator do caso, "dados armazenados em nuvem não evidenciam uma comunicação de dados" e, por isso, não estariam protegidos pela legislação. 

"Chegamos para brigar com AWS, Google e Azure na nuvem pública", diz José Nilo, da Huawei

Empresa monta o seu segundo data center no Brasil, em local não revelado por segurança, e diz que vai também aumentar presença na oferta de Kubernetes e contêineres, hoje dominada pela Red Hat, da IBM.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A Covid-19 e o governo digital

Por Marcos Boaglio*

A digitalização impõe adotar uma cultura de inovação na qual se fomente a experimentação, derrubar barreiras a partir de novos veículos de aquisição e implementar uma classificação de dados moderna, assim como desenvolver capacidades para empoderar os trabalhadores para finalmente aproveitarem as novas tecnologias.

Dados, quem sabe usar, sobrevive. Quem não sabe, fica fora da corrida!

Por Douglas Scheibler*

Se tem algo que não falta para 2021, são perguntas. Quando teremos a vacina eficaz para a Covid-19? Poderemos encerrar o isolamento social? Retomaremos nossas rotinas normais? Tudo isso ainda não tem resposta. Mas o que norteará a tomada de todas estas decisões, além de muitas outras nos ambientes social, empresarial e pessoal, serão dados. E em relação aos dados, já há tendências bem evidentes.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site