Clicky

Anatel: Limpeza de postes precisa de R$ 20 bilhões

Luís Osvaldo Grossmann ... 22/02/2021 ... Convergência Digital

Segue sem perspectivas de uma solução perene o imbróglio de uso e limpeza dos postes do setor elétrico pelas empresas de telecomunicações. Como reforçou o presidente da Anatel, Leonardo Morais, nesta segunda, 22/2, trata-se de um desafio que exige um aporte grande, R$ 20 bilhões, sem perspectiva de retorno financeiro. 

“Seria da ordem de R$ 20 bilhões o esforço para a regularização das vias aéreas, sendo um esforço que não geraria receita adicional. É um desafio muito grande. E apesar de todo o esforço, o quadro regulatório vigente é insuficiente para o enfrentamento desse desafio”, afirmou Morais ao participar do seminário Políticas de Telecomunicações, promovido pelo portal Teletime. 

“O Brasil tem aproximadamente 46 milhões de postes. E pelo menos 10 milhões seriam elegíveis a esforços de regularização, em 1,4 mil cidades. Segundo a Aneel, são faturados pelas distribuidoras de energia 24 milhões de pontos de fixação, ou 13% dos 184 milhões de pontos teóricos, com uma receita anual de R$ 1,4 bilhão, mas com grande parte revertida em modicidade tarifária”, disse o presidente da Anatel. 

Segundo Morais, desde que Anatel e Aneel voltaram ao tema e estabeleceram um preço de referência (R$ 3,19, ou R$ 4,25 em valores atualizados), ainda em 2018, mais de 220 mediações foram realizadas, com o valor sendo o ponto central da disputa em 120 casos. 

O presidente da Anatel retomou a defesa de que “parte da solução poderia passar para uma operadora neutra, com a compreensão desse espaço em uma perspectiva de oportunidade de negócios, de geração de valor, uma empresa com foco no atacado e não no cliente final, que atenderia tanto as grandes teles como fomentaria um crescimento ainda maior dos PPPs”. 


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Uso da faixa de 6 GHz avança no mundo. 2021 terá dispositivos e celulares Wi-Fi 6E

No Brasil, conselho diretor da  Anatel decide se vai destinar os 1200 MHz da faixa ao uso não licenciado, em movimento semelhante ao que já se deu nos Estados Unidos. Movimento semelhante acontece na Europa e no Oriente Médio.

Veja mais matérias deste especial    •    Inscrição gratuita - Clique aqui

CVM cobra Telebras que anuncia renovação por 10 anos de contrato com Eletrobras

Acordo vale para o uso de fibras óticas e infraestrutura de telecomunicações com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte) e Furnas Centrais Elétricas S/A (Furnas). Estatal teve movimentação atípica de ações.

Minicom: “Queremos o 5G standalone, que é o 5G de verdade, não um 4G plus”

Ao concluir viagem à Europa e Ásia para falar com fabricantes de equipamentos, o ministro das Comunicações, Fabio Faria, avisou que o governo também defende a exigência do release 16 do 3GPP no leilão da quinta geração. 

Claro e Vivo se isolam contra a exigência do 5G pleno

TIM, provedores regionais, pequenos prestadores e operadoras competitivas reforçaram aos parlamentares que 5G pleno não custa mais nem atrasa implementação no Brasil.

Anatel publica regras para fim das concessões de telefonia

Regulamento de Adaptação do STFC traz prazos e procedimentos para Oi, Telefônica, Claro, Algar e Sercomtel decidirem sobre a migração do regime público para privado. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G