Clicky

Home - Convergência Digital

Mais da metade dos apps instalados em 2020 foi desinstalado em 30 dias

Convergência Digital - 17/03/2021

Da mesma forma que o consumidor aderiu aos aplicativos, ele desiste e desinstala do seu celular. A taxa média de desinstalações chegou a 53% no ano passado, gerando uma perda de US$57 mil por mês para aplicativos médios, 70% mais do que 2019, de acordo com novos dados da AppsFlyer, especializado em atribuição móvel e análises de marketing de aplicativos.

Este mesmo estudo mostra que mais da metade dos aplicativos baixados em 2020 termina desinstalados em 30 dias. Esses números representam um comportamento global e mostram que os aplicativos não estão proporcionando uma boa experiência e não possuem ativos importantes para os usuários. Os tipos de aplicativos que mais perderam com desinstalações foram Compras e Alimentos, com um aplicativo de tamanho médio perdendo uma média de US$118.000 e US$114.000 dólares mensais, respectivamente, entre setembro e novembro de 2020.

Os aplicativos de saúde e condicionamento físico apresentam uma melhor performance na retenção de usuários, com um aplicativo de tamanho médio perdendo em média US$46.000, o que pode ser explicado pela busca real por um estilo de vida mais saudável durante a pandemia e o isolamento social.

Em uma pesquisa concluída no final do ano passado, a Digital Turbine, uma plataforma de aplicativos pré-instalados em novos dispositivos, descobriu que os brasileiros são grandes instaladores de aplicativos. Mais de 37% dos brasileiros baixaram mais de vinte novos aplicativos entre julho e setembro de 2020, e 38% dos brasileiros afirmaram que instalam aplicativos com frequência.

Mas a maneira como os usuários descobrem aplicativos pagos ou orgânicos também influencia a taxa de desinstalações. A Digital Turbine descobriu que para aplicativos de redes sociais, de compras, jogos, utilitários e financeiros, que vieram pré-instalados no celular, as taxas de desinstalação são de 5% a 45% mais baixas, do que quando os apps são baixados por lojas ou anúncios. "Isso mostra que os brasileiros não estão apenas interessados em mais aplicativos, mas que os desenvolvedores de aplicativos devem estar mais abertos a todos os métodos de descoberta desses apps", diz Mike Ng, CRO Digital Turbine.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

15/04/2021
Neoenergia testa monitoramento de consumo em tempo real

18/03/2021
Recarga de pré-pago é o serviço mais procurado do Super App da Sicoob

17/03/2021
C6 Bank ensina jovens a criar aplicativos

17/03/2021
Mais da metade dos apps instalados em 2020 foi desinstalado em 30 dias

16/03/2021
Uber abre 40 vagas para engenheiros no Centro de Tecnologia no Brasil

11/03/2021
Startup brasileira desenvolve app de combate à Covid-19 e assina parceria com Araraquara, em São Paulo

08/03/2021
Startup de troco digital recebe aporte de R$ 7 milhões da Astella Investimentos

03/03/2021
TST reafirma inexistência de vínculo empregatício entre motoristas e a Uber

25/02/2021
TJSP multa app de transporte em R$ 3 mil por cobrança indevida de R$ 500

23/02/2021
Uber faz piloto de gravação de vídeo em Aracaju

Destaques
Destaques

Highline se propõe a comprar licença 5G e oferecer espectro como serviço para ISPs

A proposta da empresa, explicou Luis Minoru, diretor de estratégia e novos negócios, é o de oferecer toda a infraestrutura na modalidade de serviço. Já há testes em andamento, não revelados, para o funcionamento da modalidade que inclui a operação de telefonia móvel.

Cobertura 4G chegou a 85% da população mundial, mas metade dela seguiu sem acesso à Internet em 2020

Levantamento da União Internacional de Telecomunicações mostra que a principal razão da exclusão digital é o alto preço do serviço diante da receita do consumidor. "Houve uma queda nos preços, mas precisa cair muito mais para termos um futuro melhor", pontuou o secretário-geral da UIT, Houlin Zhao.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Com rede sujeita a apagões, qual impacto do 5G na energia no Brasil?

Por Pedro Al Shara*

Segundo pesquisa da Vertiv, fornecedora de equipamentos e serviços para infraestrutura crítica, um aumento da ordem de 150% a 170% no consumo energético é projetado no setor de Telecom até 2026. Com toda a inovação que o 5G representa, mais dispositivos poderão acessar a internet móvel ao mesmo tempo, utilizando o mesmo sinal.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site