14/04/2021 às 11:20
Internet Móvel 3G / 4G


Reino Unido dá sinal verde à Telefônica para fusão da O2 com Virgin Media
Convergência Digital*

A autoridade da concorrência do Reino Unido rejeitou preocupações de que uma fusão da operadora móvel O2 e do player fixo Virgin Media teria implicações negativas nos serviços de atacado, fechando provisoriamente o negócio sem condições.

Em um comunicado, a Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA) disse que sua investigação aprofundada concluiu que a combinação dos negócios provavelmente não teria um efeito prejudicial nos mercados de atacado fixo ou móvel, dado o escopo dos rivais.

A CMA já havia descartado quaisquer questões de concorrência relacionadas à sobreposição com os serviços de varejo das duas marcas antes do início da investigação detalhada.

Detalhando a justificativa por trás de sua decisão de atacado, a CMA observou que o backhaul era apenas um "elemento relativamente pequeno dos custos gerais das empresas rivais de celular", o que significa que um aumento no preço da Virgin Media dificilmente chegaria aos consumidores.

O regulador também observou que rivais como a BT Openreach ofereciam serviços de linha alugada semelhantes, mas com um alcance geográfico maior, forçando a empresa recém-fundida a permanecer competitiva.

Em termos de fornecimento para MVNOs na rede da O2 do Reino Unido, a CMA disse que havia uma série de concorrentes neste setor, o que significa que a operadora precisará "manter seu serviço competitivo com seus rivais de atacado para manter este negócio".

Não analisou as implicações da sobreposição de serviços ao consumidor devido à escala limitada da operação da MVNO Virgin Mobile.

A Telefonica e a Liberty Global anunciaram a proposta de negócio em maio de 2020 e, após uma disputa com a Comissão Europeia sobre qual regulador tinha jurisdição sobre o assunto, a CMA abriu uma investigação aprofundada em dezembro de 2020.

Durante a consulta, parte da investigação, a Vodafone UK e a MVNO Sky Mobile reclamaram do negócio. A Vodafone argumentou que isso levaria a uma “redução substancial da concorrência” devido em parte às implicações para o backhaul usando linhas alugadas de fibra. A Sky Mobile concentrou suas críticas nas implicações consideradas para o setor de MVNO.

As partes interessadas têm o prazo até 5 de maio para apresentar comentários sobre a decisão provisória que desejam ter em consideração antes de a decisão se tornar definitiva.

* Com informações do MWL


Powered by Publique!