Clicky

GESTÃO

Na Índia, empresas de serviços de TI montam salas de guerra contra explosão da Covid-19

Da redação ... 28/04/2021 ... Convergência Digital

As empresas de Tecnologia da Informação da Índia montaram "salas de guerra" para enfrentar a explosão de novos casos de COVID-19 e para manter operações de bastidores para as maiores empresas financeiras do mundo, como Goldman Sachs, e outras, que terceirizam suas atividades para funcionários localizados na Índia.

De acordo com o Ministério de Saúde local, nesta quarta-feira (28), mais 360 mil casos da doença foram confirmados e 3.293 óbitos foram registrados. Ao todo, a Índia contabiliza 17,9 milhões de infectados e, nas últimas 24 horas, ultrapassou o total de 200 mil vidas perdidas. Estudo da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, aponta que o número de mortos pode ser superior ao notificado oficialmente, variando entre 400 mil a 1 milhão no pior cenário.

Funcionários de grandes provedores de serviços de tecnologia da Accenture, Infosys e Wipro, ouvidos pela Agência Reuters, revelam que as equipes estão trabalhando de 13 a 14 horas por dia, sob pressão crescente e lutando para entregar os projetos, uma vez que há muitos colegas contaminados e é preciso também cuidar de amigos e parentes. Eles minimizam, porém, qualquer ameaça de colapso nas operações.

"A pressão do trabalho aumento muito com a nova onda. Funcionários contraíram a Covid-19 e há o prazo para a entrega dos trabalhos contratados", disse um funcionário da Accenture à Reuters, pedindo para não ser identificado. Oficialmente, as empresas também descartam qualquer possibilidade de interrupção de operações. Mas a Wipro, por exemplo, transferiu alguns projetos para escritórios fora da Índia.

A Infosys informou estar operando remotamente em todos os escritórios e não viu nenhum impacto nos projetos dos clientes, apesar da deterioração da situação de saúde no país nas últimas semanas. A Tata Consultancy Services (TCS.NS), a principal empresa de serviços de tecnologia da informação (TI) da Índia, também disse que suas operações não foram afetadas, e que mantém os funcionários em casa.

O setor de TI e serviços de call center da Índia emprega mais de 4,5 milhões de pessoas diretamente e conta com muitos graduados com menos de 30 anos, os que mais estão sofrendo com a nova onda de contaminação da Covid-19. Eles recebem uma fração dos salários ocidentais e, em grande parte, superaram a pandemia de COVID-19 trabalhando em casa.

Mas com o relaxamento das medidas de contenção da doença nos últimos meses, muitos foram convocados a voltar trabalhar presencialmente a partir de março, como aconteceu no Goldman Sachs, que já suspendeu a medida e mantém todos os funcionários trabalhando em home office. Outro grande banco, o Wells Fargo, disse que seus funcionários na Índia continuariam a trabalhar remotamente até pelo menos o início de setembro.

*Fonte: Agência Reuters


Carreira
SAP anuncia formação gratuita para novos talentos

Programa SAP Learning Hub de educação gratuita está disponível em 39 instituições de ensino superior credenciadas, incluindo FIAP, USP, UNESP, UNISINOS, FEI, Instituto Presbiteriano Mackenzie, INFNET Educação, SENAC, entre outras. 

TST: Grupo de WhatsApp ou Facebook não implica em suspeição de testemunha

Tribunal Superior do Trabalho decidiu que fazer parte do mesmo grupo em redes sociais não configura amizade íntima que impeça testemunho em ação trabalhista.

Com ajuda da IA, Vivo quer recondicionar 1,5 milhão de modems e decodificadores até dezembro

A Vivo recolhe e recupera mais de 100 mil destes equipamentos por mês, que passam por atualização de software, reparos técnicos e estéticos.

Governo indica que vai pagar aluguel para quem comprar sala limpa do Ceitec

MCTI também sugere corte nos recursos para a Organização Social que vai ficar com a propriedade intelectual da estatal liquidada, R$ 30 milhões por ano estimados inicialmente já caíram para R$ 20 milhões.

Governo projeta substituir 53 mil servidores por robôs em 2030

Em 2040, mais de 68 mil servidores aptos a se aposentar poderão ser substituídos pela automação. Em 2050, poderão ser mais de 90 mil, segundo pesquisa feita pela Enap.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G