Clicky

SEGURANÇA

CNJ cria comitê de crises cibernéticas em pleno ataque ao TJRS

Convergência Digital* ... 03/05/2021 ... Convergência Digital

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) instituiu um Comitê de Governança de Segurança da Informação e de Crises Cibernéticas, responsável por medidas de prevenção e tratamento de incidentes. 

Criado pela Portaria CNJ 128/2021, publicada na mesma quinta, 29/4, em que o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul sofreu ataque de ramsomware, o comitê tem natureza consultiva, técnica e operacional, de caráter permanente. 

O Comitê deve propor e acompanhar estratégias, metas e ações de segurança da informação, bem como apresentar resultados decorrentes da implementação. Também vai propor o processo de gestão em caso de detecção de ameaças ou riscos, e administrar, de forma preventiva e corretiva, as crises cibernéticas. 

Para promover a cultura de segurança da informação, o colegiado deve implementar programas destinados à conscientização e capacitação dos usuários internos. O diálogo com as áreas do CNJ vai permitir a análise de informações e dados que possam ser necessários para o desdobramento das ações e estratégias de segurança da informação e de crises cibernéticas, além de verificar fatos e descartar boatos.

A atuação do Comitê também vai considerar os termos da Resolução CNJ 370/2021, que instituiu a Estratégia Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação do Poder Judiciário e estabeleceu as Diretrizes Estratégicas de Nivelamento. 

* Com informações do CNJ


Em cada 10 HDs ou cartões de memória descartados, nove contém dados pessoais

Estudo mostra que em 74% dos casos foi possível recuperar arquivos esquecidos, como anotações de reuniões, documentos fiscais, informações fiscais entre outras, nas mídias digitais. 

Banco é condenado a indenizar cliente vítima de golpe do WhatsApp

Decisão foi do juiz Guilherme Ferreira da Cruz, da 45ª Vara Cível Central de São Paulo e abre precedente para outras ações.

Reuso de dados em poder do governo exige regras específicas

Em artigo anterior à nomeação para ANPD, Miriam Wimmer discute a necessidade de salvaguardas para o uso de informações pelo Estado para finalidades diferentes das que justificaram a coleta original. 

Vazamento de dados: Procon/SP diz que Serasa segue com respostas insuficientes

Ao complementar as informações solicitadas pela entidade de Defesa do Consumidor, a Serasa apresentou um paraecer técnico de empresa especializada de que os sistemas da empresa são seguros. Mas o Procon/SP diz que as respostas foram incompletas e pouco esclarecedoras.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G